quinta-feira, 8 de outubro de 2015

70 x 7 = praticamos?

Há atitudes entre os que se dizem cristãos que ainda não consigo compreender, pois quando vou para a Palavra de Deus não encontro um versículo (mesmo que isolado) que possa corroborar com tais.
Quais seriam? 
O famoso "dar as costas ao outro" ou "à comunidade", até mesmo com o uso de palavras e ações que exteriorizam mais mágoa e ira do que realmente o amar sem olhar a quem e porquê, criando atritos e fomentando picuinhas, ao ponto de criarem seus guetos e convívios privados, pois não há como conviverem com os "desafetos"; o se arvorar de conhecimento e sabedoria, usando de palavras depreciativas para poder impor tais saberes, ao ponto de criarem critérios de elegibilidade celestial e santidade, tornando-se porteiros da Eternidade; o fato de dizer "assim sou eu", não aceitando a autoridade eclesiástica e combatendo-a com atitudes que beiram de modo bem perigoso à rebelião.

Todos os dias tenho o cuidado de fazer uma autocrítica e avaliar meu falar e agir em relação aos meus irmãos. 
Não por ser melhor do que alguém, mas por reconhecer que o meu "eu" por vezes se acha superior e, infelizmente, o mal está latente em mim. 
Por causa disso, necessito mortificá-lo por meio de minha total entrega a Deus, permitindo que o querer Dele prevaleça e devo procurar obedecer a Sua Lei, principalmente em meus relacionamentos.

Perdoe-me!
Se você conhece/leu versículos que possam comprovar que podemos ter atitudes de ira, não falar com aquele ou aquela, dar as costas por não aceitar certas coisas, e por aí vai, aceito que me mostre e que conversemos exaustivamente e com sabedoria, tendo o Espírito Santo como nosso Mediador e Testemunha.

Mas antes, por favor, explique-me pelo menos estes aqui (há muitos outros que poderia ainda relacionar):

* Hebreus 12:14-15 - Esforcem-se para viver em paz com todos e para serem santos; sem santidade ninguém verá o Senhor. Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos;

* Provérbios 15:18 - O homem irritável provoca dissensão, mas quem é paciente acalma a discussão.

* 1Coríntios 6:1-8 - Se algum de vocês tem queixa contra outro irmão, como ousa apresentar a causa para ser julgada pelos ímpios, em vez de levá-la aos santos? Vocês não sabem que os santos hão de julgar o mundo? Se vocês hão de julgar o mundo, acaso não são capazes de julgar as causas de menor importância? Vocês não sabem que haveremos de julgar os anjos? Quanto mais as coisas desta vida! Portanto, se vocês têm questões relativas às coisas desta vida, designem para juízes os que são da igreja, mesmo que sejam os menos importantes. Digo isso para envergonhá-los. Acaso não há entre vocês alguém suficientemente sábio para julgar uma causa entre irmãos? Mas, em vez disso, um irmão vai ao tribunal contra outro irmão, e isso diante de descrentes! O fato de haver litígios entre vocês já significa uma completa derrota. Por que não preferem sofrer a injustiça? Por que não preferem sofrer o prejuízo? Em vez disso vocês mesmos causam injustiças e prejuízos, e isso contra irmãos!

* Mateus 5:23-24 - Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta.

* Provérbios 6:16-19 - Há seis coisas que o Senhor odeia, sete coisas que ele detesta: olhos altivos, língua mentirosa, mãos que derramam sangue inocente, coração que traça planos perversos, pés que se apressam para fazer o mal, a testemunha falsa que espalha mentiras e aquele que provoca discórdia entre irmãos.

* Lucas 17:3-4 - Tomem cuidado. Se o seu irmão pecar, repreenda-o e, se ele se arrepender, perdoe-lhe. Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘Estou arrependido’, perdoe-lhe.

* Efésios 4:26-27 - Quando vocês ficarem irados, não pequem. Apazigúem a sua ira antes que o sol se ponha e não deem lugar ao Diabo. Deus lhe abençoe!!! - ANA PAULA PINHEIRO DE OLIVEIRA