segunda-feira, 25 de maio de 2015

:'(


quarta-feira, 20 de maio de 2015

Conceituação x Realidade


Um pensar particular relativo ao conceito de educação e o que realmente temos visto nos dias de hoje.

As palavras possuem seus conceitos, definições.
Algumas vezes a realidade não evidência de modo fidedigno tais conceitos, gerando certos incômodos pessoais e até mesmo sociais.
Uma delas é o conceito de Educação.

Educar, no sentido mais amplo, significa “o meio em que os hábitos, costumes e valores de uma comunidade são transferidos de uma geração para a geração seguinte.”
Para tanto, ela se desenvolve nas situações presenciadas e experiências vividas por cada indivíduo ao longo da sua vida.

Educação não é adestramento.
O homem é capaz de elaborar, modificar, ou seja, é racional e desenvolve a linguagem (em todas suas formas).
Por isso que o processo ensino e aprendizagem deve compreender o indivíduo como esse ser racional que precisa ser educado para que seja efetivamente constituído o Ser Humano, o verdadeiro cidadão.

Mas o que temos visto hodiernamente na sociedade é uma progressão de hábitos, costumes e valores que têm sido deteriorados.
A moral e a ética têm tido suas bases, tanto culturais quanto acadêmicas, abaladas de modo incisivo.
E isso tem conferido o que podemos dizer ser uma “falta de educação” em certas relações sociais do homem ante aos outros e às situações da vida.

Temos educado nossos filhos?

Têm eles recebido realmente educação nas instituições educacionais que frequentam?

E mais, têm eles sido educados nas instituições religiosas que estejam participando?

Tem realmente o pedagogo/professor compreendido sua missão, independente dos revezes que se apresentam no exercício de sua profissão?

São questionamentos que devem ser considerados na pedagogia, pois ela "é o campo do conhecimento científico referente à teoria e à prática educativa, sendo constituída por saberes especializados e autonomamente estabelecidos, os quais são necessários ter-se em conta para enfrentar a complexidade dos fenômenos educativos. (Introdução aos estudos de gestão e política nos espaços educativos. Editora Pearson Prentice Hall, 2011. São Paulo, SP, p. 5.)

Ou seja, é na pedagogia que respostas podem ser formuladas e, a partir delas, direcionadas as ações para que haja o devido encaminhamento da educação nas instituições educacionais.

Isso é um processo contínuo.
Pois o ser humano está em constante evolução desde o seu nascimento, tanto nas suas faculdades físicas, quanto intelectuais, morais e sociais.
Quando “bem educado” melhor se integra à sociedade.

Da minha infância e adolescência posso elencar várias situações e relações que comprovam o valor de uma verdadeira educação, pois tive pais e professores que souberam exercer de modo eficiente seus papeis, não levando em consideração as dificuldades inerentes à minha pessoa como um todo (personalidade, deficiência de aprendizagem e outros), como também às dificuldades inerentes às políticas educacionais e salariais.
Revendo tal período da minha vida, percebo que os professores que mais marcaram minhas memórias não têm a ver com português e literatura, que são áreas que hoje me atraem, por ser uma leitora, com prazer, e por procurar expor meus pensamentos em palavras escritas.

Paro e fico pensando sobre isso...

Acho interessante perceber que mesmo tendo sido exitosa nessas disciplinas, os que a lecionaram nunca me fizeram ir além do que ensinavam e, por isso, não foram tão marcantes.
Já os outros, me instigavam a mais, sempre me mostravam que o saber é para ser buscado como um tesouro precioso e que eles estavam me dando o mapa para encontra-lo.
Devo a eles esse meu desejo ainda latente em relação ao saber mais.

Sei que o professor brasileiro é desmerecido.
Mas como pedagogo deve questionar de onde parte tal desmerecimento e buscar por meio de sua atuação modificar a realidade que ora se apresenta.

Ao falar sobre pedagogos, Platão uma vez disse: “São muitos os que usam a régua, mas poucos os inspirados.”

Que possamos buscar nossa inspiração na alegria sentida ao se ver o sucesso do próximo, com os quais temos o privilégio de em uma fase de suas vidas (infância ou adolescência) educar em uma das tantas matérias curriculares que se apresentam e, por meio delas, dar-lhes uma base sólida que se evidencia em atitudes morais e éticas de um caráter bem formado.

Afinal, a educação “é um processo social, é desenvolvimento. Não é a preparação para a vida, é a própria vida.”, como bem disse John Dewey.


Ana Paula Pinheiro de Oliveira
   (outubro de 2013)




terça-feira, 19 de maio de 2015

Avançar...


sexta-feira, 8 de maio de 2015

Continuar a caminhada...


sexta-feira, 1 de maio de 2015

Verdade

Ah! 

A Verdade!

Uma palavra que perdeu muito do seu significado atualmente, pois seu conceito tem sido associado à imagem de pessoas com condutas infelizes.

Sim!

Com a boca dizem expressar a verdade, mas na prática não é aquilo que dizem.

E assim a palavra verdade tem perdido seu valor na sociedade e também nos meios cristãos.

E estudando a 2ª Carta de João, fica evidente que quem conhece a Verdade revelada em Cristo é que realmente pode dar a real definição de "alėthea".

Essa palavra originalmente traz o seguinte entendimento: "amor à verdade, que é aquilo que não está oculto, mas aberto e que pode ser conhecido; amor este tanto em palavras quanto em conduta, veracidade de atos".

E é isso que podemos compreender nos primeiros quatro versículos de 2ª João.

Deixa eu lhe mostrar o que minha Mente e Coração apreenderam...

João nos diz que a Verdade não é apenas para ser falada, mas praticada.

Quando Jesus foi questionado (Mt 22:16; Mc 12:14), chegaram até Ele dizendo que sabiam que era verdade o que dizia, pois Ele mostrava em Suas atitudes e não permitia que nada nem ninguém modificasse isso.

Além disso, na carta de João vemos que ele se alegrou muitíssimo, pois VIU filhos da "Senhora Eleita" caminhando, andando na Verdade.

Esse caminhar, andar, no original é relacionado a comportamento.

Não sei você, mas quando isso acima saltou diante dos meus olhos, minha alma foi questionada.

- Minha conduta tem sido evidência da verdade que falo?

Verdade não se desassocia de prática!

Se digo que amo, tenho que praticar atos de amor.

Se digo que perdoo, tenho que mostrar que perdoei.

Se digo que leio a Bíblia e oro, tenho que evidenciar que a minha comunhão com Deus tem mortificado minha carne.

Agora compreendo mais ainda o "em espírito e em verdade" de João 4:23!

Aleluia!

Que eu e você possamos mais e mais ser por Deus moldados, até ao ponto de totalmente sermos devotados, entregues, comprometidos apenas e tão somente a Ele.

Que falemos a Deus o que os espias disseram a Josué:
"A nossa vida responderá pela vossa..." (Js 2:14a).

Deus lhe abençoe!

Inté....

- ANA PAULA PINHEIRO DE OLIVEIRA