sexta-feira, 7 de março de 2014

Um pouco (mas muito pouco mesmo) da história dos meus pais.


Um pouco (mas muito pouco mesmo) da história dos meus pais. Faltam nela detalhes que revelariam os milagres e o sustento divinos por eles vividos durante esses anos.
Essa história pode ser resumida em uma simples palavra: OBEDIÊNCIA.
Ouviram o chamado divino em 1974 e obedeceram, abrindo mão de todos os bens e profissão para seguirem um caminho de total submissão a Deus, desprovidos de qualquer dependência humana e totalmente nas Suas mãos, vivendo por todos esses anos os frutos dessa obediência, onde Deus tem mostrado Seu cuidado, carinho e feito frutificar as sementes da Sua Palavra que tem sido ministrada por onde passaram, passam e, com certeza, ainda passarão.
A passagem bíblica que tem sido o seus lema é o Salmo 23. E eles têm visto cumprir-se nas suas vidas esse cuidado do Sumo-Pastor e têm buscado pautar seu ministério pastoral no exemplo divino revelado em Cristo.
E assim será sua história até o dia que Jesus Cristo vier buscá-los...
Eis um pouco dela.....

-----

Há 40 anos, precisamente no dia 08 de março de 1974, pr. Kemuel Sotero Pinheiro foi consagrado ao ministério pastoral, na AD de Cordovil, estado do Rio de Janeiro, sob a imposição de mãos dos pastores Tulio Barros Ferreira, presidente da Convenção Fraternal do então estado da Guanabara, e Marcelino Margarida da Silva, presidente da Assembleia de Deus em Cordovil, RJ.
Mas sua história se inicia em 1948, mais precisamente no dia 10 de maio, quando nasceu em um lar cristão, filho de Kerginaldo Antunes Pinheiro e Loíde Sotero da Cunha Pinheiro, que eram membros da AD de Natal, RN. Nessa igreja passou toda sua infância e adolescência, tendo consciência de sua salvação aos 13 anos de idade. Foi batizado nas águas em 1969, já na AD de Cordovil, Rio de Janeiro. Em um congresso realizado em 1970 em uma das congregações da AD de Cordovil, foi batizado no Espírito Santo e diplomado em Teologia pela EPOE, ainda no Rio de Janeiro.
Em 25 de setembro de 1971 casou-se com Roseni Lopes Pinheiro, cerimônia realizada pelo saudoso pr. Alcebíades Pereira Vasconcelos. Dessa união nasceram em Ana Paula, casada com Ruy e que lhe deu 2 netos, Karina e Kemuel; Luciana; Elisama, que lhe deu 3 netos, Luane, Kaio e Gabriel; e Ester.
Pr. Kemuel e Roseni têm deixado um legado histórico não apenas para suas filhas, genro e netos, mas também para sua grande família cristã, desde o dia que foram consagrados ao santo ministério.
Ainda no ano de 1974, no mês de abril, foram enviados para o campo missionário. Saíram do Brasil apenas com Ana Paula, que na época tinha 1 ano e meio e foram para Accra, Gana, no continente africano, permanecendo até o mês de outubro de 1978. Durante esse período nasceram suas duas filhas, Luciana e Elisama.
Antes de ir para Portugal, em junho de 1979, passou um período nos Estados Unidos, onde se formou em Teologia do Ministério Cristão pelo MCWE.
De junho de 1979 a julho de 1982 foi enviado para a cidade de Lisboa, em Portugal, e pastoreou a AD da avenida do Brasil, igreja estabelecida pelo ministério de Belenzinho, SP, quando o pr. Paulo dos Santos era missionário naquele país.
Retornou para o Brasil em 1982 e neste mesmo ano, no mês de setembro, foi empossado como pastor da AD do Morro do Estado, em Niterói, RJ.
Foi durante o período que pastoreava o Morro do Estado que nasceu a sua caçula, Ester.
Em setembro de 1988 deixou a AD do Morro do Estado e assumiu outra igreja ainda na cidade de Niterói, RJ, a AD da Engenhoca, onde permaneceu até o mês de março de 1990.
Em 1990, por convite do saudoso pr. José de Carvalho, foi empossado como pastor presidente da Assembleia de Deus na cidade de Itaperuna, no noroeste do estado do Rio de Janeiro, onde trabalhou até o mês de outubro de 1995.
Em 30 de janeiro de 1996 saiu do estado do Rio de Janeiro e foi empossado como pastor presidente da AD de Aribiri, na cidade de Vila Velha, ES. Onde está até o dia de hoje.
Além de exercer o ministério pastoral no exterior e no Brasil, pr. Kemuel Sotero também tem exercido vários cargos na liderança pastoral em níveis estaduais e nacionais. Assim que retornou para o Brasil, já no ano de 1983, no mês de janeiro, assumiu o cargo de secretário-executivo da SENAMI (Secretaria Nacional de Missões). Permaneceu nesse cargo até o mês de março de 1985 e durante esses anos foram realizados os simpósios nacionais e regionais de missões, o que promoveu a adesão da liderança da AD à obra missionária. Os outros cargos exercidos foram: - secretário adjunto da CGADB de março de 1985 a março de 1990; - 1º secretário do Conselho Regional Sudeste de janeiro de 1997 a janeiro de 2003; - relator das reformas do Estatuto da CGADB em 2003 e 2006. Quando aos cargos do Conselho Administrativo da CPAD, de janeiro de 2003 a abril de 2005 foi 2º secretário; e desde de abril de 2005 tem sido eleito e reeleito para o cargo de 1º vice-presidente desse conselho, sendo o cargo que ocupa atualmente.
Exerceu também funções em convenções estaduais. Na CEADER foi 3º vice-presidente, na gestão de abril de 1983 a abril de 1985, e nas gestões do período de abril de 1985 a abril de 1991 foi eleito 2º vice-presidente.
Junto com o saudoso pr. Paulo Alves da Silva e outros, foi um fundadores da COMADERJ em agosto de 1995, sendo o 1º vice-presidente desta convenção estadual até julho de 1998. Neste ano foi transferido para a CADEESO, exercendo o cargo de assessor especial para assuntos da mesa diretora de janeiro de 1999 a janeiro de 2003. Ainda nessa convenção estadual, no ano de 2006, foi eleito membro do conselho de ética e disciplina e, também, conselheiro da UMADES (união de jovens do estado do ES).

E esta história continua....
Apenas 40 anos já foram passados.....

quinta-feira, 6 de março de 2014

Salmo 131



"SENHOR, o meu coração não se elevou nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes matérias, nem em coisas muito elevadas para mim. Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada.
Espere Israel no Senhor, desde agora e para sempre."
Salmo 131

----

Algo que pode ser claramente visto neste e nos outros salmos de Davi é sua total confiança em Deus, no chamado que Ele lhe tinha feito e sua segurança em apresentar-se a Deus mostrando-se por completo, sem temer revelar quem ele era, pois sentia dentro de si a certeza de que Deus o conhecia e sabia da sinceridade de seu coração.
E nesse Salmo especificamente uma verdade pode ser exposta e ser complementada pela passagem de Hebreus 10.22-23 (“Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada, e tendo os nossos corpos lavados com água pura. Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois Aquele que prometeu é fiel.”):

Antes, nossa condição de pecado não nos permitia ter a segurança de estar diante de Deus sem que sofrêssemos a condenação. Mas, quando Cristo veio aqui e pagou ali na cruz toda a nossa culpa, rasgando a nossa cédula, comprando-nos no mercado de escravos do pecado, Ele nos outorgou o direito de dizermos que somos novas criaturas, sem a condenação do pecado.
Livres!
Com a consciência limpa de toda acusação que o inimigo possa nos apontar.
Podemos acalmar nossos corações e ter a satisfação de usufruir das bênçãos divinas como se fossemos crianças sendo amamentadas, que têm a segurança, o alimento e o conforto necessário em todo o momento que quiserem.
Acredite nisso!
Tenha essa certeza em seu coração!

Deus lhe abençoe!

ANA PAULA PINHEIRO
06/03/2014 - 12h58