terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Feliz Natal!!!!

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Razão e Emoção

Escrita há alguns anos...








quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Persistência


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

CHEGA!!!!! Paremos com esse embate!

Preciso dizer algo...
Desde ontem (16-10-14), depois que vi apenas pequenos trechos do debate presidencial e o vídeo da presidente-candidata possivelmente passando mal, meu coração ficou meio que incomodado.
Sabe com o quê?
Com algo que muitos não têm feito, principalmente os que se dizem ser cristãos, que é o de ser compassivo em relação ao outro e o de agirmos com sabedoria e atitudes dignas de elogio cristão.
O debate, aliás, o embate foi completamente ofensivo para ambos e, evidentemente, acabou sendo mais ainda para a referida senhora.
É triste chegarmos a uma situação no Brasil onde ao invés de termos debates sobre ideias, planos de governos, ideais futuros, vemos uma verdadeiro derramar de acusações, manipulações marqueteiras e egos exaltados.
Infelizmente, ao final, ficou claro que a parte menos preparada saiu mais lesionada pelos ataques e, mais uma vez, o povo brasileiro (aquela parte que deseja mais do que "feijão, carnaval e futebol") torna-se refém de tais atitudes e pessoas.
Sinceramente, ao ver a presidente-candidata soltar sílabas sem nexo e parecendo querer fugir de tudo e todos, meu coração se compadeceu.
Não posso vê-la como uma pessoa sem alma, sem coração, nem mesmo que seja uma sociopatia.
Creio que ontem ela teve um certo vislumbre de consciência e isso lhe causou um baque.
Poderia ter aproveitar e dar passos diferentes agora!
Poderia!
E mais, ver tal embate ser perpetuado nas redes sociais, onde palavras e figuras baixas têm sido usadas para se defender A ou B, sem um pingo de atitude cristã no meio, isso me enoja! (Perdoe-me a expressão!).
Pelo amor de Deus!!!!!!!
Chega, gente!
Vamos dar uma basta a isso tudo!
Não podemos ser mais uma voz no meio dessa gritaria ensurdecedora de mentes vazias!
Tanto é que intensifiquei meus pensamentos de oração em relação a essa eleição, pedindo a Deus para que nos dê, segundo Sua Soberania, sabedoria em nossas decisões e que faça com que os referidos candidatos e partidos sejam realmente éticos e sábios em suas falas e atitudes.
Que deixem de agir como pessoas incultas, sem domínio próprio, achando que o cargo que pleiteiam seja apenas um meio de se enriquecerem e ganharem prestígio.
Participo de qualquer debate coerente, sabiamente argumentado e que possa promover crescimento, em todos os sentidos.
Mas não participo, nem promovo, embates que se mostram pífios e emburrecedores.
Aprendi que devemos orar pela "Paz em Israel".
Ou seja, devemos, por meio de nossas vidas, procurar promover a prosperidade, em todas suas modalidades, aqui nessa terra. 
Somos representantes do Reino Celestial e, como tal, jamais podemos coadunar e nem ficar fomentado mais ainda esse embate.
Jamais!
Promovemos essa Paz em nossa sociedade quando temos atitudes que revelam um espírito altruísta, que tem domínio próprio, que sabe amar com Cristo amou.
Há uma linha muito tênue entre o sarcasmo e a ofensa, entre palavras jocosas e acusações.
Oremos!
A oração é um exercício que nos faz conhecer mais a Deus e a nós mesmo e, assim, saberemos como ser verdadeiros cidadãos aqui nessa terra, sem perder nossa cidadania celestial.

Deus lhe abençoe!!!!!

Ana Paula Pinheiro de Oliveira
17-out-14 às 15:28h

sábado, 27 de setembro de 2014

ESTUDO - Vivendo a Vontade de Deus no Namoro

1Pe 1.13-25; 2.1-3
1Ts 4.1-8

Deus nos criou para vivermos em comunhão com outras pessoas, ou seja, compartilhando, comunicando, relacionando-nos.
Isso não foi algo aleatório, como a ciência tanto gosta de propagar (não é o assunto para agora), mas é uma das características da imagem e semelhança de Deus que nos foram dadas. 
Gênesis 2.18 – “Então o Senhor Deus declarou: ‘Não é bom que o homem esteja só; farei para ele alguém que o auxilie e lhe corresponda’.”
Gênesis 1.27 – “Criou Deus o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.”
Gênesis 3.8 – “Ouvindo o homem e sua mulher os passos de Deus que andava pelo jardim quando soprava a brisa do dia, esconderam-se da presença do Senhor Deus entre as árvores do jardim.”

Para tanto, o homem foi dotado de aptidões que o condicionam a exercer atração pelo outro e também o de se sentir atraído.
Por causa dessa atração natural, um homem e uma mulher começam, assim, o namoro, que na definição mais correta é “a fase da vida em que duas pessoas assumem um compromisso de viver uma relação de conhecimento pessoal e familiar, para possível formação de uma nova família”.
E como podemos viver a vontade de Deus dentro dessa relação?
Primeiro, buscando saber qual é a real VONTADE DE DEUS para o cristão.
Qual é?
1º Pe 1.15-16 – “Mas, assim como é santo aquele que os chamou, sejam santos vocês também em tudo o que fizerem, pois está escrito: ‘Sejam santos, porque eu sou santo’.”

Isso mesmo!
Santidade (separado para um serviço exclusivo). 
Essa é a vontade de Deus.
Isso é uma ordenança que está patente na Palavra de Deus desde o primeiro livro (Gênesis) até o último (Apocalipse).
Em toda a Sua Palavra vemos sempre Deus manifestando claramente a necessidade de que os que dizem ser seus adoradores terem que ser conforme Ele é, Santo.
Quando buscamos a santificação, não há a necessidade de serem criadas regras de "o que se deve" ou "não deve" ser feito.
Pois ao conhecermos a Palavra de Deus, nós temos todo o manual necessário de conduta.
Buscando a santidade, vivemos dentro dos padrões da Bíblia Sagrada, temos o temor do Senhor no coração e rejeitamos tudo aquilo que tenha aparência de pecado e possa prejudicar nossa alma.
Deus deu uma ordem a Adão e Eva. Mas eles preferiram desobedecer.
Deus nos deu Sua Palavra para aprendermos e vivermos. Mas preferimos desobedecer.
Por quê?
Por buscar alimentar nossa mente apenas com o que homens e mulheres ditam como sendo certo e errado.
Por buscar mais estar de acordo com o que o mundo vive do que contagiá-lo com o viver santo.
É mais cômodo!
É mais fácil!
Mas a Bíblia declara que nós somos “geração eleita, SACERDÓCIO SANTO, nação santa, povo exclusivo de Deus” (1Pe 2.9a) e que “toda a humanidade é como a relva, e toda a sua glória, como a flor da relva; a relva murcha e cai a sua flor, mas a palavra do Senhor permanece para sempre” (1Pe 1.24).
Então, porque insistir em tapar os ouvidos para essa verdade?
Ele mesmo diz que a Sua vontade é BOA e AGRADÁVEL.
Se quisermos ter relacionamentos sadios, bons, que estejam sendo alicerçados em bases firmes que venham a permitir a construção de um lar que não se abalará ante as tempestades que vierem a acontecer, BUSQUEMOS A SANTIDADE.
Essa é a Sua vontade.
Foi o que lemos na 1ª carta aos Tessalonicenses: “A vontade de Deus é que vocês sejam santificados”.
Como?
Pedro já deu uma receita, vejamos: 
1º Pe 1.13 – “Portanto, estejam com a mente preparada, prontos para agir; estejam alertas e coloquem toda a esperança na graça que lhes será dada quando Jesus Cristo for relevado.”

1. Preparando a mente (cingindo os lombos do vosso entendimento).
A mente é o centro de onde todas as ações e decisões nascem.
Ela é a sede das respostas que damos às situações que somos expostos.
O que a pessoa pensa é o que ela é. 
Tt 1.15 – “Para os puros, todas as coisas são puras; mas para os impuros e descrentes, nada é puro. De fato, tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas.”

Tito tinha sido deixado por Paulo na Igreja de Creta para que pudesse instruir e pôr em ordem aquela igreja. E entre as tantas instruções que ele deixou para Tito, ele disse isso, que havia entre eles pessoas que se diziam crentes em Deus, mas as suas mentes e consciência estavam tão corrompidas, que demonstravam em seus atos o contrário.
Por isso que Paulo deixou registrado, por Deus, que levava cativo todo o seu pensamento, para torná-lo obediente a Cristo (2Co 10.5) e que devemos renovar nossa mente, para poder transformar o mundo (Rm 12.2).
NAMORO DENTRO DA VONTADE DE DEUS não revela atitudes cujo pensar é conforme o padrão do mundo.

2. Agindo.
Jesus falou que nós somos LUZ DO MUNDO e SAL DA TERRA (Mt 5.13-16).
São dois elementos que se não forem utilizados da forma correta não servem para nada.
As nossas atitudes devem brilhar nesse mundo de tal forma que iluminemos a escuridão em que ele está mergulhado.
Nossas ações devem trazer o tempero que está faltando para esse mundo insosso e sem sabor de santidade.
NAMORO DENTRO DA VONTADE DE DEUS deve evidenciar aos que estão ao redor o brilho de Cristo e o sabor da santidade.

3. Estando sempre em alerta (sede sóbrios).
Nunca devemos nos esquecer que satanás sempre está ao nosso redor, buscando arrebatar nossas almas para o seu reino e nos retirar do caminho da santidade. O TEMPO TODO! Não descansa!
1Pe 5.8 – “Estejam alertas e vigiem. O diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.”

NAMORO DENTRO DA VONTADE DE DEUS é debaixo de oração e reconhecimento da dependência de Deus.

4. Tendo esperança em Deus.
Trazendo sempre a memória àquilo que nos dá esperança, que é saber que vivendo uma vida de SANTIDADE aqui na terra fará com que já gozemos com antecedência os prazeres celestiais.
Quais sejam, ALEGRIA, PAZ, SATISFAÇÃO, COMPLEMENTAÇÃO, COMUNHÃO, AMOR.
E quem não quer isso dentro de um relacionamento?
NAMORO DENTRO DA VONTADE DE DEUS é saber que sendo santos dentro desse relacionamento, podemos já antever um lar onde a presença de Deus será totalmente sentida.


Deus lhe abençoe!!!!!

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Resiliência


segunda-feira, 14 de julho de 2014

Algodão....



O algodão tem várias propriedades e, dentre elas, há propriedades medicinais, como: estancar hemorragias, aliviar dores musculares, queimaduras, tratar inflamações, entre outros benefícios.
E essa propriedade me chamou a atenção hoje, pois estamos fazendo Bodas de Algodão, ou seja, dois anos de casados.
Nossas micro-histórias se encontraram em uma fase de nossas vidas onde nossos corações sangravam e não sabíamos como estancar as lágrimas que por vezes eram copiosas; externávamos um cansaço causado pelas cargas emocionais que carregávamos; possuíamos queimaduras causadas pela decepção, pecados (nossos e de outréns) e achávamos que a inflamação da solidão seria sentida de modo crônico.
Muitos ao nosso redor não percebiam tais "doenças", pois procurávamos relatá-las diretamente ao Médico dos médicos, ao Senhor das nossas vidas.
E Deus, de modo extraordinário, nos proporcionou o encontro por meio de um simples "Oi!"
E assim começamos a permitir que o tratamento para nossa cura, com o Bálsamo do Amor, pudesse ser iniciado e meses após, no dia 14 de julho de 2012, ser selado diante do altar e perante familiares e amigos.
Ainda estamos no processo, mas, graças a Deus, não temos permitido que ele seja interrompido.
E muitos anos ainda virão.....

Amo você, Ruy!!!!!!!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

Cansada....

Ando cansada!
Ando mesmo!
Cansada das invencionices em nome de Deus.
Cansada da permissividade às meias-verdades nos arraiais cristãos.
Cansada da comercialização do evangelho.
Cansada da infantilidade espiritual.
Cansada das desejos humanos superando valores eternos.
Cansada dos gritos vazios ecoando dos púlpitos.
Cansada das canções repetitivas e melosas.
Cansada das teologias falsas, humanas, pobres, podres.
Cansada da eisegese, da filosofia vã, da teoria carnal.
Cansada das danças provocadas por emoções humanas.
Cansada das indulgências "evangélicas".
Cansada dos amuletos, ídolos e óleos ditos divinos.
Cansada dos clubes de fãs, da gospelândia...
Cansada das "marchas para" em detrimento do "caminhar por".
Cansada da pesca em aquários.
Cansada do aproximar-se em benefício próprio.
Cansada dos atos proféticos (Ah! Senhor! Até quando?).
Cansada das falácias "teopolíticas".
Cansada dos grupos e ministérios humanos com nomes cristãos.
Cansada dos títulos e subtítulos, cargos e hierarquias humanas.
CANSADA DE MIM MESMO!!!
Pois estou aqui, no meio disso tudo e correndo o perigo de me acomodar ou, pior, conformar.
Sou falível, suscetível ao erro também.
Ao erro de ficar no lugar confortável, de desejar o isolamento, de tornar-me fria, insensível.
Portanto, ando cansada...

Socorro, Senhor!
Socorro!!!
Quero ser igual a Jesus, que também esteve em meio a isso tudo, mas não se acomodou ou conformou.
Socorro, Senhor!

"Quem me dera eu tivesse asas como a pomba; voaria até encontrar repouso! Sim! Eu fugiria para bem longe, e no deserto eu teria o meu abrigo." (Salmo 55.6-7)

====

ANA PAULA PINHEIRO DE OLIVEIRA
16/05/2014 - 16h47

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Aquilo que nos dá esperança...

Fazer uma foto é registrar um instante do passado, a fisionomia de alguém, a beleza de uma paisagem ou a magia de um detalhe.
Quantas vezes paralizamos, direcionamos os olhos à câmera, procuramos a melhor posição e após o "clic", voltamos a nos mover (ou não) no mesmo compasso da vida que por um momento "parou" para fazer a tal imagem que perdurará.
E se por acaso virmos que o instante feito não ficou bonito, agradável aos olhos, não revelamos, apagamos, deletamos e guardamos apenas o bonito, o alegre, o colorido.
E mais!
Temos ainda a condição de melhorar a imagem feita!
Sim!
Um ajuste aqui, outro ali, uma modificação em um detalhe ou cor e, pronto, a foto fica ainda mais agradável de ser vista e, até mesmo, exposta.
E é esse instante do passado que é guardado e lembrado todas as vezes que folheamos os álbuns fotográficos.

Pensando nisso, uma pergunta eu me fiz:
- Porque não fazemos o mesmo com as nossas lembranças?

Temos o triste hábito de registrar em nossa memória as imagens das lágrimas, da destruição, do medo, das caretas (no sentido de feiúra) da vida.
E são elas que sempre vemos nos momentos de solitude e/ou solidão, quando procuramos ver os álbuns da memória.
Não tem jeito!

Tínhamos que agir do mesmo modo que fazemos com as fotos reais, ou seja, permitir que sejam feitas imagens na memória apenas da felicidade, das qualidades do outro, do horizonte de esperança e, principalmente, do nosso Deus.
Deveríamos utilizar os recursos espirituais para trazer cor e qualidade ao fato, à pessoa, ao que desagrada.
Sim!
Afinal, a câmera fotográfica da memória está em nossas mãos e temos à disposição todas as tecnologias espirituais necessárias para fazer as melhores fotos.

Portanto, paremos de registrar apenas o feio, o triste, o desagradável, a agonia, o impossível!
Que tenhamos o cuidado de dar o "clic" naquilo que "nos dá esperança"!


Deus lhe abençoe!!!!

------------
ANA PAULA PINHEIRO DE OLIVEIRA
23-04-2014 às 20h02

sexta-feira, 7 de março de 2014

Um pouco (mas muito pouco mesmo) da história dos meus pais.


Um pouco (mas muito pouco mesmo) da história dos meus pais. Faltam nela detalhes que revelariam os milagres e o sustento divinos por eles vividos durante esses anos.
Essa história pode ser resumida em uma simples palavra: OBEDIÊNCIA.
Ouviram o chamado divino em 1974 e obedeceram, abrindo mão de todos os bens e profissão para seguirem um caminho de total submissão a Deus, desprovidos de qualquer dependência humana e totalmente nas Suas mãos, vivendo por todos esses anos os frutos dessa obediência, onde Deus tem mostrado Seu cuidado, carinho e feito frutificar as sementes da Sua Palavra que tem sido ministrada por onde passaram, passam e, com certeza, ainda passarão.
A passagem bíblica que tem sido o seus lema é o Salmo 23. E eles têm visto cumprir-se nas suas vidas esse cuidado do Sumo-Pastor e têm buscado pautar seu ministério pastoral no exemplo divino revelado em Cristo.
E assim será sua história até o dia que Jesus Cristo vier buscá-los...
Eis um pouco dela.....

-----

Há 40 anos, precisamente no dia 08 de março de 1974, pr. Kemuel Sotero Pinheiro foi consagrado ao ministério pastoral, na AD de Cordovil, estado do Rio de Janeiro, sob a imposição de mãos dos pastores Tulio Barros Ferreira, presidente da Convenção Fraternal do então estado da Guanabara, e Marcelino Margarida da Silva, presidente da Assembleia de Deus em Cordovil, RJ.
Mas sua história se inicia em 1948, mais precisamente no dia 10 de maio, quando nasceu em um lar cristão, filho de Kerginaldo Antunes Pinheiro e Loíde Sotero da Cunha Pinheiro, que eram membros da AD de Natal, RN. Nessa igreja passou toda sua infância e adolescência, tendo consciência de sua salvação aos 13 anos de idade. Foi batizado nas águas em 1969, já na AD de Cordovil, Rio de Janeiro. Em um congresso realizado em 1970 em uma das congregações da AD de Cordovil, foi batizado no Espírito Santo e diplomado em Teologia pela EPOE, ainda no Rio de Janeiro.
Em 25 de setembro de 1971 casou-se com Roseni Lopes Pinheiro, cerimônia realizada pelo saudoso pr. Alcebíades Pereira Vasconcelos. Dessa união nasceram em Ana Paula, casada com Ruy e que lhe deu 2 netos, Karina e Kemuel; Luciana; Elisama, que lhe deu 3 netos, Luane, Kaio e Gabriel; e Ester.
Pr. Kemuel e Roseni têm deixado um legado histórico não apenas para suas filhas, genro e netos, mas também para sua grande família cristã, desde o dia que foram consagrados ao santo ministério.
Ainda no ano de 1974, no mês de abril, foram enviados para o campo missionário. Saíram do Brasil apenas com Ana Paula, que na época tinha 1 ano e meio e foram para Accra, Gana, no continente africano, permanecendo até o mês de outubro de 1978. Durante esse período nasceram suas duas filhas, Luciana e Elisama.
Antes de ir para Portugal, em junho de 1979, passou um período nos Estados Unidos, onde se formou em Teologia do Ministério Cristão pelo MCWE.
De junho de 1979 a julho de 1982 foi enviado para a cidade de Lisboa, em Portugal, e pastoreou a AD da avenida do Brasil, igreja estabelecida pelo ministério de Belenzinho, SP, quando o pr. Paulo dos Santos era missionário naquele país.
Retornou para o Brasil em 1982 e neste mesmo ano, no mês de setembro, foi empossado como pastor da AD do Morro do Estado, em Niterói, RJ.
Foi durante o período que pastoreava o Morro do Estado que nasceu a sua caçula, Ester.
Em setembro de 1988 deixou a AD do Morro do Estado e assumiu outra igreja ainda na cidade de Niterói, RJ, a AD da Engenhoca, onde permaneceu até o mês de março de 1990.
Em 1990, por convite do saudoso pr. José de Carvalho, foi empossado como pastor presidente da Assembleia de Deus na cidade de Itaperuna, no noroeste do estado do Rio de Janeiro, onde trabalhou até o mês de outubro de 1995.
Em 30 de janeiro de 1996 saiu do estado do Rio de Janeiro e foi empossado como pastor presidente da AD de Aribiri, na cidade de Vila Velha, ES. Onde está até o dia de hoje.
Além de exercer o ministério pastoral no exterior e no Brasil, pr. Kemuel Sotero também tem exercido vários cargos na liderança pastoral em níveis estaduais e nacionais. Assim que retornou para o Brasil, já no ano de 1983, no mês de janeiro, assumiu o cargo de secretário-executivo da SENAMI (Secretaria Nacional de Missões). Permaneceu nesse cargo até o mês de março de 1985 e durante esses anos foram realizados os simpósios nacionais e regionais de missões, o que promoveu a adesão da liderança da AD à obra missionária. Os outros cargos exercidos foram: - secretário adjunto da CGADB de março de 1985 a março de 1990; - 1º secretário do Conselho Regional Sudeste de janeiro de 1997 a janeiro de 2003; - relator das reformas do Estatuto da CGADB em 2003 e 2006. Quando aos cargos do Conselho Administrativo da CPAD, de janeiro de 2003 a abril de 2005 foi 2º secretário; e desde de abril de 2005 tem sido eleito e reeleito para o cargo de 1º vice-presidente desse conselho, sendo o cargo que ocupa atualmente.
Exerceu também funções em convenções estaduais. Na CEADER foi 3º vice-presidente, na gestão de abril de 1983 a abril de 1985, e nas gestões do período de abril de 1985 a abril de 1991 foi eleito 2º vice-presidente.
Junto com o saudoso pr. Paulo Alves da Silva e outros, foi um fundadores da COMADERJ em agosto de 1995, sendo o 1º vice-presidente desta convenção estadual até julho de 1998. Neste ano foi transferido para a CADEESO, exercendo o cargo de assessor especial para assuntos da mesa diretora de janeiro de 1999 a janeiro de 2003. Ainda nessa convenção estadual, no ano de 2006, foi eleito membro do conselho de ética e disciplina e, também, conselheiro da UMADES (união de jovens do estado do ES).

E esta história continua....
Apenas 40 anos já foram passados.....

quinta-feira, 6 de março de 2014

Salmo 131



"SENHOR, o meu coração não se elevou nem os meus olhos se levantaram; não me exercito em grandes matérias, nem em coisas muito elevadas para mim. Certamente que me tenho portado e sossegado como uma criança desmamada de sua mãe; a minha alma está como uma criança desmamada.
Espere Israel no Senhor, desde agora e para sempre."
Salmo 131

----

Algo que pode ser claramente visto neste e nos outros salmos de Davi é sua total confiança em Deus, no chamado que Ele lhe tinha feito e sua segurança em apresentar-se a Deus mostrando-se por completo, sem temer revelar quem ele era, pois sentia dentro de si a certeza de que Deus o conhecia e sabia da sinceridade de seu coração.
E nesse Salmo especificamente uma verdade pode ser exposta e ser complementada pela passagem de Hebreus 10.22-23 (“Sendo assim, aproximemo-nos de Deus com um coração sincero e com plena convicção de fé, tendo os corações aspergidos para nos purificar de uma consciência culpada, e tendo os nossos corpos lavados com água pura. Apeguemo-nos com firmeza à esperança que professamos, pois Aquele que prometeu é fiel.”):

Antes, nossa condição de pecado não nos permitia ter a segurança de estar diante de Deus sem que sofrêssemos a condenação. Mas, quando Cristo veio aqui e pagou ali na cruz toda a nossa culpa, rasgando a nossa cédula, comprando-nos no mercado de escravos do pecado, Ele nos outorgou o direito de dizermos que somos novas criaturas, sem a condenação do pecado.
Livres!
Com a consciência limpa de toda acusação que o inimigo possa nos apontar.
Podemos acalmar nossos corações e ter a satisfação de usufruir das bênçãos divinas como se fossemos crianças sendo amamentadas, que têm a segurança, o alimento e o conforto necessário em todo o momento que quiserem.
Acredite nisso!
Tenha essa certeza em seu coração!

Deus lhe abençoe!

ANA PAULA PINHEIRO
06/03/2014 - 12h58


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

O que temos ensinado (???) à geração que nos sucederá?

Hoje (24/02/14) pela manhã, em minha leitura bíblica diária, iniciei o livro de Juízes.
Nele está o relato do povo de Israel já na terra prometida, após sua saída do Egito e jornada no deserto.
Um versículo saltou-me aos olhos e desde cedo está ardendo em minha mente e coração:

"Depois que toda aquela geração foi reunida a seus antepassados, surgiu uma nova geração que não conhecia o Senhor e o que Ele havia feito por Israel." (Jz 2.10)

Como sempre digo, não vou aqui tecer argumentações teológicas, pois não parei (ainda) para poder pesquisar mais à fundo (e amo fazer isso!).
Quero apenas expor um pensamento, que creio ser de um coração que se inquieta mais e mais e que tem um zelo que chega a ser extremo em dados momentos.

A geração familiar (agradeço a Deus os pais que tenho), social e eclesiasticamente que me antecedeu deixou um legado ético, moral e teológico que ...
... me conferiu uma firmeza de fé e santidade diante de certas tempestades que vivi (e que tempestades, por sinal!!!);
... me conferiu a liberdade de compreender e discernir, podendo decidir racionalmente quando questões me exigiram dizer "sim" ou "não";
... me conscientizou do quanto necessito diariamente estar mais e mais próxima de Deus e de Sua Verdade, orando, lendo a Bíblia e tendo comunhão com os santos, para que suba com êxito os degraus da santificação, arrependendo-me dos meus erros e procurando não cometê-los novamente;
... me mostrou que o conhecimento de Deus é o caminho mais sábio a seguir para poder estar imune quanto as investidas sutis (ou não) do inimigo de nossas almas, que usa todos os meios, entremeios, pensamentos e situações para poder nos fazer cair.

Enfim, a geração que me antecedeu procurou mostrar-me quem é o Senhor e o que Ele fez, tem feito e ainda fará.
Posso até dizer que a geração que me antecedeu exagerou em certas questões relativas à usos, costumes e cultura, não nego.
Mas ela jamais deixou de priorizar o ESSÊNCIAL, que foi me mostrar DEUS, Sua Palavra, Seu Poder, Seu Agir.

E aí surge a pergunta que me inquieta desde cedo:
O que temos ensinado à geração que nos sucederá?

A geração pós-Josué NÃO SABIA quem era Deus!!!
A geração pós-Josué NÃO SABIA o que Deus havia feito à e por Israel!!!
Se não sabia, foi porque a geração de Josué NÃO FALOU, não contou, não colocou em prática a Lei que já lhes havia sido dada.
Pelo relato do livro de Josué (que acabei de ler no último sábado), creio que eles acabaram envolvidos com as suas batalhas diárias e esqueceram-se de sentar com seus filhos e ensinar a Lei. Só pode!
Esqueceram-se de Deuteronômio 6, ou seja, ...
... de ensinar com persistência a seus filhos as palavras que o Senhor ordenara, de conversar sobre elas quando estivessem sentados em casa, andando pelo caminho, ao se deitar e ao se levantar. 
... de amarrar as palavras do Senhor como um sinal nos braços e prendê-las na testa.
... de escrever as palavras do Senhor nos batentes das portas de suas casas e portões.

Esqueceram-se!!!
Só assim, seus filhos teriam um caráter conformado de acordo com a Lei do Senhor, externando nas suas atitudes e decisões tal caráter e não seriam seduzidos pelo erro.

O versículo seguinte de Juízes 2.10 diz: "Então os israelitas fizeram o que o Senhor reprova..."
Pois não tinha CONHECIMENTO!

Que abramos nossos olhos, pois ainda há tempo!
Vamos reconhecer onde temos falhado e voltemos aos princípios elementares da nossa fé, pois são eles que trarão a salvação necessária, darão a firmeza ante as intempéries e santificarão a próxima geração.
Muito mais do que entretenimento, bens materiais, movimentos (alguns até bizarros) e tantas outras coisas que têm inventado (o povoé criativo!), nossos filhos precisam CONHECER O DEUS QUE SERVIMOS.

Não é fácil! Reconheço!
O tempo tem se tornado cada vez mais escasso e as tecnologias aumentado, enfim, tudo parece cooperar para que o conhecimento seja deixado de lado.
Não é "prazeroso" para alguns! (Para mim é demais!!!)
Afinal, a maioria quer "arrepios", "gargalhadas", "pular" e por aí vai.....
Buscar o conhecimento demanda diligência, persistência, dedicação.
Mas não é complicado.
É simples e necessário!

Enfim...

Um dia nós vamos.
Um dia eles ficam.
E então, como será?

Leia o livro de Juízes e você verá o que pode acontecer.

Deus lhe abençoe!!!

ANA PAULA PINHEIRO
24/02/2014 - 13h45

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Ufa!!!!!!!!

Como desejo extravasar essa expressão.




"Ufa!!!"
Descanso da alma ...
Sossego no espírito ...
Lágrimas secas ...
Conforto para o coração ...


A alma parece estar na posição de fuga e angústia, ...
... buscando refúgios,
... subterfúgios.
Ela anseia ser complementada.
Ter o ser.
Ser.


O espírito inquieta-se por sentir-se longe.
Longe do alvo.
Distante do ideal.
Na realidade, o espírito sente-se "desconectado".


E, assim, brotam as lágrimas.
Que em toda a sua essência, ...
... transmitem tristeza e angústia.


Dói o coração ...
Como dói!


"Ufa!!!"


Pai, ... 
... tira-me esse fardo!
Em nome de Jesus!
Por favor!

===========


É isso que seu coração também quer extravasar?
O retorno é sempre mais difícil, sei disso. 
Pois a acusação do inimigo é intensa.
Mas correr para os pés da cruz sempre é a melhor decisão.
Então, corra! E ouça o que Ele diz:
"Pai! Por que me desamparaste?"
Pronto!
Ouviu?
É o seu grito, não é?
Pois Cristo já extravasou por você.
Deixa agora todo esse seu fardo com Ele.
Eu lhe convido a experimentar esse descanso.
Deus lhe espera!

Em Cristo,

ANA PAULA PINHEIRO DE OLIVEIRA