domingo, 4 de agosto de 2013

Sinais de pontuação no texto da vida...

Na gramática da vida os sinais de pontuação têm a mesma utilização.
Ponto, interrogação, exclamação, vírgula e tudo mais.
Nenhum deles diferencia seu modo de agir quando são utilizados na dissertação do viver.
A interrogação coloca seu tom de dúvida e faz com que entoemos nossa vida com a sonoridade da inquietação, por sempre estar querendo respostas, convicções até mesmo sobre o que não tem o que se explicar.
Tem a exclamação, que traz toda sua riqueza de emoções, pois nos faz viver o espanto, a surpresa, a dor e até mesmo a raiva. Com ela evocamos, gritamos, silenciamos.
Com o apóstrofo suprimos os medos que nascem durante o nosso viver e que devem ser escondidos para que a jornada possa realmente ser prazerosa.
Se estamos cansados, precisando de uma pausa rápida, mas ao mesmo tempo um pouco demorada (meio ilógico isso até) para poder dar aquela inspiração profunda, temos o ponto e vírgula no nosso viver. Ele nos proporciona esse momento rápido de oxigenação.
Fato que a vírgula não nos proporciona por completo, pois esta é rápida. Muita das vezes nem percebemos sua participação nessa redação da vida e não lhe damos o devido valor. Pois ela é quem dá a cadência da entoação das frases da vida e, também, mesmo que sejam rápidas suas ações, é ela quem faz com que as frases da vida tenham verdadeiro significado.
E quando pequenas explicações são necessárias para que se compreenda o relato do viver, os parênteses logo se apresentam e acrescem palavras que na maioria das vezes nem são tão essenciais, mas que precisam aparecer.
Se precisamos listar intenções, critérios de escolha, até mesmo opções de decisão, é nesse momento que os dois pontos são usados para que não perca sentido o que se escreve no relato da vida.
Agora, ponto final não existe na vida. Pois quando esse é colocado no texto, significa que a vida acabou, a vida não tem mais como prosseguir. Por isso, evitamos usá-lo sempre. Na verdade, temos até medo quando ele se pronuncia em dados momentos da vida finalizando algumas frases. E para não terem a conotação de fim, triplicamos esse ponto e transformamo-lo em reticências.
Sim!
Pois as reticências trazem aquele suspiro, aquela sensação de que ainda há algo, ainda não acabou.
Camuflam de um modo misterioso o futuro, sem trazer a insegurança. Pelo contrário, esses três pontinhos sequenciais sempre nos fazem ter vontade de continuar, prosseguir. Jamais parar!
Enfim, o que jamais podemos esquecer ao utilizar esses e todos os outros sinais gráficos na dissertação do nosso viver é apenas uma coisa: NÓS SOMOS O TEMPO TODO LIDOS!
Outros lerão cada uma das palavras que expressamos no viver.
E, dependendo do que estivermos escrevendo, mais leitores nós teremos ou não.
Por isso, utilizemos com sabedoria todas as pontuações que Deus tem nos dado, para que nossas vidas sejam relatadas de tal forma que sua história perdure na memória de muitos.

Deus lhe abençoe!!!!!!!

"Vocês demonstram que são uma carta de Cristo, resultado do nosso ministério, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas em tábuas de corações humanos." (2Co 3.3)

6 comentários:

Marcello de Oliveira disse...

PAZ!

Sua destreza na escrita é notória. Suas palavras fluem aos borbotões. És uma espadachim da palavra. Prossiga. A estrada é longa. Palmilhe-a com destreza.

abraços, Marcello Oliveira

Nona disse...

... a vida continua.
Amei esse texto, e o meu desejo que nossa amizade sempre tenha muitas reticencias... Beijão

Lídia Portugal disse...

A-M-E-IIIIIII!!!!!

Adriana Lopes Pereira disse...

Prima, seus textos são inspirados! Palavras tão lindas e tocantes só podem vir direto do coração de Deus para o seu. Meus parabéns pelas belíssimas palavras! Beijos, Adriana.

Mila Suzano disse...

Nunca vi algo parecido... Lindo! Amei a transformação do ponto final em reticências... que profundo! Parabéns, Ana.

kenia disse...

gostei muito do seu artigo.Nossas vidas são, na verdade, livros abertos; que esses livros sejam então recheados de belas histórias onde o personagem principal seja Cristo.
Um forte abraço
Kenia (amiga de sua amiga,Karina)- amiga possessiva!rs,rs,rs