segunda-feira, 24 de junho de 2013

Teologia e Adoração....

Ontem uma indagação queimava minha mente e coração.
"Lendo" certas canções, veio uma certa tristeza pela pobreza nas palavras cantadas.
Não nego que esta tristeza já me acompanha e creio que perdurará, pois quando ouso falar que não existe realmente uma composição bíblica, mas apenas frases de efeitos unidas por conjunções, artigos e outros, a maioria responde: nada a ver!
Mas... voltando ao "desabafo".....
Em oração, coloquei o tal ponto de interrogação lacrimoso nas mãos de Deus e descansei Nele.
No momento que fiz isso, Ele trouxe uma convicção ao meu coração: quando mais estudamos a Palavra de Deus, mais e mais nossa adoração sobe os degraus da excelência. Isso automaticamente acontece!
Foi o que aconteceu com Paulo.
Se você estudar suas cartas, vai encontrar em certos trechos, pós explanação teológica, hinos de louvor ao Senhor.
Leia e medite em Romanos 11.33-36; Colossenses 1.15-20 e 2Timóteo 6.15-16; 
Imagino Paulo estudando o Antigo Testamento e de tempos em tempos parando o que fazia (escrevia) e cantando!
Enfim, essa resposta de Deus à minha indagação foi ontem (domingo, 23-06-13).
E hoje, 24 de junho, fui surpreendida por um texto que ratifica o que ontem Ele me  esclareceu (abaixo um trecho dele).
Portanto, mais e mais procurarei conhecer o Deus da minha adoração!!!!
E convido você a buscar essa excelência também.

Deus lhe abençoe!!!!

ANA PAULA PINHEIRO
24-06-13 / 10:05h

-----

A teologia que não nos faz cantar falhou em sua missão, não importa quão correta ela seja.
A adoração que não nos leva ao mais profundo de Cristo também falhou, não importa quão gloriosa seja a música ou quão aplicável, o sermão.
Louvar a Deus de forma adequada significa aprofundar o nosso conhecimento deste Deus que adoramos.
Nossos corações devem ficar em chamas quando verdadeiramente examinamos como o Pai enviou seu Filho ao mundo para nos salvar, e depois nos uniu ao Salvador quando enviou o Seu Espírito Santo aos nossos corações.
Uma ótima teologia mexe com o coração.
Uma excelente adoração aumenta o nosso conhecimento.
- Voltemos ao Evangelho
(http://voltemosaoevangelho.com/blog/2013/06/teologia-faz-voce-cantar/)

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Still....

Nestes últimos dias tenho recebido pedidos de oração de algumas pessoas e presenciado situações na vida de outras.
Enquanto estudava há pouco Escatologia, o Ruy, meu esposo, começou a tocar no violão uma música.
Gosto muito de escutar músicas e, principalmente, "lê-las" ao cantar.
Continuei estudando, mas a música ficou tocando na minha mente, lembrei das pessoas que acima citei e veio ao meu coração o desejo de "falar" algumas palavras....
Então, escrevi! Poucas palavras, pois preciso voltar a estudar....

---------------

A letra desta música, em inglês, diz:

Hide me now under Your wings
Cover me within Your mighty hands.

When the oceans rise and thunders roar,
I will soar with You, above the storm.
Father, You are King over the flood.
I will be still and know You are God.

Find rest my soul in Christ alone.
Know His power in quietness and trust.

Se você não conhece a língua inglesa, ouça a música e você vai reconhecer qual é a música:


Esta é uma das versões dela em língua portuguesa que gosto muito:

Não é linda?
Enfim...
Still significa "imóvel, parado, quieto, em silêncio"...
E é essa palavra inglesa que ficou martelando na minha mente.
Still.... Still.... Stil.... Still....

É dela que vou falar um pouco.
Mas não me prenderei a questões linguísticas, teológicas, não!
É um falar poético, onde quero que você alcance a essência do todo.

Gosto muito das versões brasileiras dessa canção.
Amo cantá-las!
Amo mesmo!
Mas a essência que a letra em inglês traz é mais profunda.
Sim! Descansarei em Deus é tremendo!
Mas saber quem é Deus deve nos levar além...
É não se ABALAR com as tempestades.
É sentir a PAZ, que não tem como ser explicada, em meio à guerra.
É na balburdia das tantas vozes que surgem, SILENCIAR-SE em contemplação diante de Deus.
É não se ABALAR com / em / por / para nada!
Não sofrer nenhum tipo de "transformação", física, emocional ou espiritual, ante as situações.
Isso só é possível quando se conhece o DEUS que se serve!
Louvo a Deus dizendo: "I will be still... " - Eu não me abalarei.... SEI QUE ÉS DEUS!

Deixo esta pequena mensagem para você,....
..... que está vivenciando uma situação não agradável,
..... que recebeu uma notícia triste,
..... que está sofrendo com a falta de amor de alguns,
..... que precisa passar por um tratamento médico sofrível,
..... que está com tantos questionamentos na alma,
..... que se sente só em meio a tantos,
..... que não compreende certos motivos, silêncios, estações,
..... que não revela o que realmente está acontecendo dentro de si.

NÃO SE ABALE!
DESCANSE...
STILL...
...... em DEUS!

"Conheçamos o Senhor; esforcemo-nos por conhecê-Lo. Tão certo como nasce o sol, Ele aparecerá; virá para nós como as chuvas de inverno, como as chuvas de primavera que regam a terra." - Oséias 6:3

Em Cristo,

ANA PAULA PINHEIRO DE OLIVEIRA
14-junho-2013 / 20:44h

terça-feira, 11 de junho de 2013

As nossas fraquezas nos ensinam a nos apoiar na força de Deus.

Questionar toda uma situação que foge do nosso controle é o que automaticamente nossa mente faz. 
Pois em certos momentos o que vivenciamos nos revela a impotência e a nulidade do que possamos pensar, agir, falar... 
Tudo nos direciona para uma incompreensão, até mesmo para a beira do abismo da incredulidade. 
Lágrimas molham interiormente o medo, a angústia, as interrogações que toda uma situação faz com que nasçam. 
Mas tais lágrimas acabam se evidenciando e expondo nossa fragilidade. 
Não gostamos! 
Queremos nos mostrar superiores... 
Caminhamos procurando não olhar para frente, pois a escuridão à frente nos deixa com mais medo e nossos olhos acabam visualizando sombras tenebrosas, que aumentam as sensações ruins que estão no interior. 
Caminhamos com passos até morosos, sem convicção de onde devemos pisar. 
Esquecemo-nos do dia a dia, dos afazeres e de nós mesmos. 
A vontade é de apenas extravasar um grito que diz: PARA!
Parar? 
Sim! 
Um grito que deseja que o tempo pare e regrida até momentos onde poderíamos ter feito algo mais, ter agido de forma diferente, ter falado palavras que não foram ditas...
Um grito que deseja que o tempo pare e regrida até o exato momento em que a dor nasceu e possamos de alguma forma modificar toda a situação que a causou e não permitir que tal dor nascesse. 
Mas não temos esse poder, capacidade... 
Mesmo em meio a muitos, nos sentimos sozinhos. 
As vozes ecoam e retumbam no vazio que apenas nós mesmos sabemos que ele ali está. 

Nosso coração fala tal qual o salmista: 
Deus, “Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me surpreenderam.” (Sl 18.4), "Tira a minha alma da prisão," (Sl 142.7a). 


E Ele tira! 
No Seu tempo Ele vem! 
Alimenta-nos enquanto ali estamos. 
Embala-nos suavemente e ouvimos Dele a mais bela canção de amor. 
E no tempo que por Ele já está determinado, a “prisão” é aberta... 
Ele não está longe! 
Por mais que alma solicite para que fuja de toda a realidade, nosso espírito clama em meio a essa fraqueza e deposita toda sua confiança no Seu Criador. 
Na escuridão do caminho, Ele faz brilhar uma luz que é a pura revelação do Seu amor por nós: Cristo! 
É Ele que vem! 
Sim! 
No meio das sombras tenebrosas, há um que não é uma delas, é Ele. 
É Cristo vindo em meio à escuridão e estendendo Sua mão para que possamos chegar mais próximo Dele e recebermos Seu abraço. 
Ele quer fazer isso! 
Abraçar-nos! 
Colocar-nos em Seus braços e nos levar. 
Pois sabe que não temos condições físicas, emocionais e espirituais até. 
Ele sabe! 
Ele nos criou! 
Ele nos amou! 
Ele veio aqui e essa “prisão” também vivenciou... 
Por isso que compreende as lágrimas que jorram. 
Compreende... 
Então, aceitemos essa mão estendida e permitamos que Ele nos abrace e nos leve durante essa momentânea estrada escura. 
Deixemos que Ele mostre todo Seu poder e ação. 
E no final desse momento, as respostas para todos os questionamentos virão e vivenciaremos a alegria de estar participando da melhor que Deus tem em Sua Soberania. 

Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será luz à roda de mim. Nem ainda as trevas me encobrem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa.” (Sl 139.11-12)

Deus lhe abençoe!!!

- Por ANA PAULA PINHEIRO