sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

... em verdade!

No Salmo 122 está registrado um dos versos mais falados: Alegrei-me com os que me disseram: Vamos à Casa do Senhor!” (Sl 122.1)
Mas lendo-o por completo podemos aprender que ele reflete o reconhecimento que o povo tem em relação ao lugar de adoração. O quão necessário é que este seja realmente um lugar desejoso de se estar, sendo necessário que haja lá paz e real presença do Reino. O que hoje faz com que muitos não compreendam realmente o que significa esse "lugar", é que a própria palavra nos direciona a pensar em algo físico, com quatro paredes. E, com isso, temos a tendência natural em reconhecer que estamos "adorando" apenas quando estamos no lugar devido. Ledo engano!
A atitude do coração do salmista, nesse caso Davi, era o que determinava a sua adoração. Ele conhecia toda a Sua Lei e buscava pô-la em prática. Realmente alegrava-se em adorar a Deus e reconhecia que a Sua presença era viva no Templo, símbolo na sua época da morada divina. Hoje esse "lugar", "Templo", é o nosso coração. Portanto, devemos ansiar que o nosso coração tenha viva a Sua presença e, com isso, nos conscientizar que O adoramos em qualquer lugar que estejamos. Pois adorar não é LEVANTAR AS MÃOS, ORAR, CANTAR, DANÇAR, ESTAR SEMPRE DE JOELHOS, SUBIR AO MONTE, FALAR JARGÕES PENTECOSTAIS ou tantas outras formas e fórmulas que possam existir e que na maioria das vezes são praticados apenas dentro de um lugar específico, a Igreja. Não!
Quanto Jesus teve com a Samaritana, lhe disse: Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4.24), com isso declarou que atos externos não inundados por uma intenção de coração puro e sincero, não significariam nada. E isso só se obtém quando conhecemos quem é Deus. Não podemos celebrar a Deus apenas com base nos nossos sentimentos e em um lugar específico, mas em realmente o saber quem Ele é e o que Ele fez e faz por nós.
Esse conhecer vai além da busca ao estudar sobre Sua Pessoa e Sua Palavra, mas é viver o que se aprende, expressando nos atos e palavras tudo que brota de um coração que sincera e verdadeiramente conhece a Deus. A adoração é a nossa resposta à revelação que Deus faz de Si mesmo. Ao adorá-Lo estamos reconhecendo Seu caráter e Seus feitos. É a expressão do nosso prazer em Deus. É no dia-a-dia, independente do lugar ou do que estejamos fazendo, que devemos adorar a Deus. Reconhecendo o Seu agir, a Sua presença e todos os Seus atributos em tudo que vemos, tocamos, pisamos, falamos e ouvimos.

ADORE A DEUS EM ESPÍRITO E EM VERDADE!
Adoração é atribuir valor a Deus por aquilo que Ele é por natureza.” (David Mains).

Um comentário:

Anônimo disse...

Texto lindo e esclarecedor de um verdadeiro adorador.
Para os dias de hoje então...
Em Cristo
Andréia