terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Um simples hífen...

Neografia é uma nova ortografia.
Mas quero usar da liberdade dos que gostam de escrever para dar uma nova descrição para essa palavra: neografia seria uma nova forma de se escrever uma palavra já conhecida para que seja de imediato compreendido o seu significado.
Vou explicar!

No início do ano, mais precisamente no dia 15 de janeiro, ouvi o Henrique Willer (líder do Caminho da Graça de BH) citar uma nova forma de se grafar uma palavra na sua preleção daquela manhã e que me fez matutar desde então.
Muitas palavras brotaram na minha mente, quis escrever, mas não conseguia dar conformação às ideias...
Hoje vou expor um pouco sobre o que ando matutando.

Pensando nas tantas vezes que já falei sobre mudança, sobre o medo que tenho delas e até mesmo sobre algumas tomadas, eu me vi confrontada pelo que escrevi e sobre o que realmente tenho vivido depois que ouvi tal palavra.

Fácil é pensarmos em algo ao depararmos com a palavra DECISÃO.
Afinal, decisão é uma capacidade nossa que usamos o tempo todo.
Desde a hora que acordamos até adormecermos à noite estamos decidindo sobre pequenas questões e, em certos dias, até sobre grandes questões.
Mas ao ouvir o Henrique naquela manhã falar sobre DE-CISÃO, isso mesmo, DE-CISÃO, na mesma hora peguei uma caneta e escrevi essa neografia na minha Bíblia.

Quando esse hífen entra na palavra, ela ganha um peso diferente.
Um simples traço fez com que eu pudesse visualizar algo que tantas vezes não queremos aceitar.
Foi com ele que reparei na facilidade que temos em decidir pelo que nos trará conforto ante uma mudança da vida.
Gostamos da zona de conforto!
Claro!
Só que ao ler DE-CISÃO, automaticamente fui levada a ver que nem sempre a resposta que damos a certas questões promovem uma mudança realmente.
Não há uma cisão!
Não há uma divisão, separação!
Não há uma saída da zona de conforto...
Não há uma mudança...

A mudança só é real se evidenciamos um rompimento de algo passado, um deixar para trás, o parar de andar pelo caminho já conhecido.
A mudança só é real quando deixamos de lado convicções humanas e abraçamos as certezas da verdade absoluta, sem questionar ou recear.
A mudança só é real quando há um corte na alma, provocando o sangramento desta, que se revelará sem pudor por lágrimas de arrependimento.
A mudança só é real quando a renúncia não é apenas desejada, mas aceita conscientemente como o meio de se viver toda a plenitude do ser discípulo.

Um hífen mostra isso: que a decisão deve gerar mudança.

Vamos à Palavra de Deus?

Desde Gênesis nós podemos ler a história de homens que foram em certos momentos de suas histórias colocados diante de situações que lhes fizeram tomar decisões e, de acordo com o que responderam, puderam ver mudanças significativas não apenas em suas vidas.
De acordo com a sua de-cisão...
... Noé e sua família foram salvos.
... Abraão tornou-se pai de uma grande nação.
... Moisés libertou uma nação e conduziu-a à terra prometida.
... Josué viu muralhas ruírem, inimigos serem derrotados e até o "sol parar".
... Gideão libertou o seu povo da opressão inimiga.
... Ana concebeu um profeta.
... Ester conquistou o coração de um rei e tornou-se rainha.
... Neemias reconstruiu os muros de sua cidade.
... os discípulos tornaram-se pescadores de homens.
... Cristo substituiu-nos na cruz.

Lendo a história desses homens e mulheres (e de outros mais), claramente vemos que eles tiveram que fazer uma cisão nas convicções, na história familiar, tiveram que romper com a cultura, as regras, com o seu modo de pensar, tiveram que desistir de sonhos, de projetos.

Mas de todos eles, a maior de-cisão foi a de Cristo.
Pois Ele "esvaziou-se a Si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens." (Fp 2.7) para atender à vontade de Deus e com o Seu sangue comprar "para Deus gente de toda tribo, língua, povo e nação." (Ap 5.9c).
Sua atitude mudou a história da humanidade.
Sua atitude muda a minha e a sua história de acordo com a decisão que tivermos ao ser confrontados e/ou alcançados por ela.

Muito mais poderia continuar escrevendo aqui, mas paro por agora lhe dizendo apenas uma coisa: coloque um hífen na sua decisão a partir de hoje.
Promova reais mudanças em sua vida.
Mas entre tais, há uma que você não pode remediar.
Essa remediação lhe conferirá continuar na mesmice diária do vazio existencial e também lhe dará uma eternidade com ou sem Deus.
Cristo disse sim para nós.
E nós, o que temos dito?
E você?
Qual vai ser: uma DECISÃO ou DE-CISÃO?

Como uma neografia nos faz ver além do que antes víamos!!!

Deus lhe abençoe!!!!

Um comentário:

Ester disse...

Adooorei!