segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

Que Deus seja o construtor de sua vida...

2013 está se descortinando para nós. E como sempre abre-se diante de nós uma série de novidades que não podemos contabilizar, mensurar, qualificar.
Para alguns isso traz um certo gosto de medo, outros ficam ansiosos e há aqueles que sem temor algum desejam a aventura da novidade.
Mas certo é que todos devemos continuar construindo nossas vidas, independente de nossos jeitos e desejos.
Li o Salmo 127 e fiquei pensando nisso tudo......
Cheguei à seguinte conclusão e quero compartilhar com você nesse último dia do ano. Sei que se colocarmos em prática o que abaixo escrevo, 2013 será um ano abençoado, pois "Deus é bom em todo o tempo!".
Ah! Essa música a seguir fala do cuidado divino conosco, pois se "Seus olhos estão sobre o pardal", podemos ter certeza que muito mais Ele cuida de nós.


Há uma base necessária quando nos deparamos com o novo, o inesperado, quando temos que dar mais passos por um caminho que não conhecemos, quando tempestades se levantam ou até mesmo quando há bonança.
Há uma base que nos mantém firmes.
E é a partir dela que deve ser construída e moldada toda uma vida.
Essa base é Deus.
O Salmo 127 nos mostra que nossa condição humana de nada vale para que haja firmeza e sustentabilidade nos projetos de vida.
Se o Senhor não for quem a constrói, quem a guarda, quem a sustenta, tudo que fizermos será em vão, pois Dele procede tudo o que precisamos e almejamos.
Vemos esse condicionamento na pequena partícula “se”.
Se não for o Senhor o construtor da casa...” (v. 1).
Se não é o Senhor que vigia a cidade...” (v. 2).
Como não gostamos de ser condicionados, pois nossa natureza pecaminosa nos tornou rebeldes, quando nos deparamos com esse “se”, buscamos impor, em certos momentos até inconscientemente, nossas próprias razões e vontades.
Mas sabiamente Deus inspirou o salmista para nos mostrar que devemos, sim, priorizá-Lo em todos os nossos afazeres, necessidades, decisões e tudo mais.
Ele se importa com cada detalhe de nossas vidas.
Traçando um paralelo entre esse Salmo e a passagem de Mateus 7.24-27, onde lemos sobre “O Prudente e o Insensato”, apreendemos que para termos realmente nossas vidas alicerçadas sobre a Rocha, que é Cristo (expressão suprema do amor de Deus), devemos praticar o que ouvimos de Sua parte através da Palavra.
Para praticarmos, temos que crucificar o nosso “eu”, a nossa vontade.
Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou a mim.” (Gl 2.20).
Como peregrinar é caminhar por estradas desconhecidas em direção a um alvo desejado, não hesitemos em seguir o mapa que tão cuidadosamente Deus nos entregou.  2013 é uma estrada desconhecida, mas Deus, em Sua Soberania, pode nos proporcionar uma jornada sob Sua proteção, direção.
Não permitamos que o "eu" não queira obedecer ao "se" divino.
Obedecer, e nada mais, nos condicionará viver o melhor dessa vida terrena.

Deus lhe abençoe!!!!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Feliz Natal e Feliz Ano Novo!!!!!!


Aos meus amigos...

Uma homenagem aos AMIGOS...
Em especial à algumas "peças de quebra cabeças" que estão dia a dia aprendendo a viver o melhor de Deus... e, assim, unindo outras peças que estavam distantes.
=====


"Mesmo que as pessoas mudem e suas vidas se reorganizem, os amigos devem ser amigos para sempre, mesmo que não tenham nada em comum, somente compartilhar as mesmas emoções." (Vinícius de Moraes)


=====


Um quebra cabeças é feito de várias peças.
Peças de diferentes formatos, pinturas e posições e todas com a mesma necessidade: estarem conectadas.
Pois quando estão separadas, elas não evidenciam nada, não transmitem nenhuma mensagem e nem revelam nenhuma imagem.
Quando estão separadas, elas se revelam apenas para elas mesmas.
Aí, vem a mão, DIVINA, e começa a montar tal quebra cabeças.
Vai colocando as peças em seus devidos lugares e a imagem começa pouco a pouco a se revelar.
Deus, então, pega tal quebra cabeças, depois de montado, e o emoldura, para que todos possam ver Sua obra prima.
Sabe o que veem: AMIZADE!
Sim! 
A pintura revela essa palavra de forma SINGULAR, ÚNICA.
Amor STORGE.
Nascido no amor ÁGAPE e revestido pelo amor FILEO.
Qual é a imagem?
Nós todos juntos!
Cada um com seu jeitinho, virtudes e fraquezas.
Cada um com seu formato físico, olhar, manias.
Mas todos vivendo a ALEGRIA DA COMUNHÃO, do compartilhar e buscar a mesma direção.
E assim, gravando em nossa memória momentos que no futuro podem se tornar em saudades.
O tempo pode nos separar, só que jamais irá fazer com que essa IMAGEM venha a se dissipar.
Que Deus possa fazer de cada um de vocês o melhor que possam imaginar.
E que em tudo vocês reconheçam ser uma peça IMPORTANTE nesse grande quebra cabeças divino. Nunca se esqueçam disso!
A imagem é tão bonita, que está contagiando outras peças...
Amizade!!!!
É isso!!!

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Avançar!

Avançar!
Muito mais do que apenas ir...
Envolve toda uma compreensão de que há
um alvo a ser atingido e que a estrada a ser
percorrida pode ter alguns percalços,
mas não teremos dificuldades de caminhar.
Nesses momentos não estaremos sós.

Avançar!
Também é a certeza de que somos dotados
das capacidades necessárias para deixar
muito mais do que pegadas na estrada.
Podemos plantar sementes que se
transformarão em árvores frutíferas.
Mesmo que não desfrutemos dela, outros poderão.

Avançar!
Certeza de que essa ordem vem de Deus!
Não importa se o mar está à frente,
se o rio está caudaloso,
se as muralhas estão altas,
se os cárceres estão fechados,
se o gigante amedronta,
se não há água no poço,
se o impossível ainda se impõe...

ELE NOS DÁ A CERTEZA DE QUE PODEMOS AVANÇAR!!!!
Confiemos em Deus!
Apenas, sempre, totalmente em Deus!
Avancemos na direção da nossa
Canaã Celestial, nossa eterna promessa...

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

A Alma Que Escreve...

A Alma Que Escreve está passeando por entre imagens não conectáveis e que estão emolduradas uma ao lado da outra, trazendo uma poluição visual tão gritante, que faz com que os ouvidos da imaginação não consigam ouvir realmente o que se deseja expor.
Um quadro expõe a incompreensão dos saberes, outro mostra cores da violência gratuita, há um que sem pudor revela a nudez de quem se diz vestido de realeza.
E a Alma Que Escreve é invadida por emoções contraditórias, que lhe conferem um quê de amargura, pinceladas de questionamentos da incompreensão.
Tenta fechar os olhos para que não olhe mais para tais imagens, mas as suas impressões estão gravadas na memória e, assim, ficam como sombras com contornos brilhantes na escuridão dos olhos fechados (feche seus olhos e compreenderás).
Mas insiste nos olhos fechados.
E pouco a pouco vai sentindo as batidas aceleradas do coração começarem a ter um ritmo mais saudável.
Vai sentindo um langor produzido por um som que vem de um lugar ainda não conhecido.
Sente-se ser atraída por algo não conhecido, não explicável.
E nessa sensação de não esvaziamento, mas de preenchimento total, a alma de quem escreve começa a ver além das imagens, palavras que estão dando as mãos e formulando frases e mais frases.
Diferentemente das imagens, que estão ao lado uma das outras, mas não conectadas, as frases, apesar de dançarem cada uma em seu próprio ritmo, transmitem uma Mensagem Única.
Começa então a ler...
Começa então a escrever...
"Mais do que saberes eu posso dar, pois dou a sabedoria, e com apenas uma cor eu exponho a paz. Sou a realeza que não tem formosura, pois despi-me de toda glória."
Alma Que Escreve compreendeu essa Mensagem.
A mensagem quem diz é o Ser Supremo, quem lhe deu a vida, que lhe manifestou Sua Graça, atraindo-a, dando-lhe a sensação de sossego.
E isso lhe é tão magnífico, que não tem outra reação que não seja romper em direção ao que está além do que essas imagens estão impedindo-a de ver.
Abre os olhos e passa por elas, enfrentando todas as sensações desgostosas que ela transmite, pois a Mensagem ouvida lhe dá a ousadia necessária para enfrentar tais sensações.
E encontra-se com quem lhe diz a Mensagem, Seu Autor, Jesus!
A partir de então, a Alma Que Escreve não mais para de relatar a Mensagem em tudo que vem a escrever...

======

Escrevi esse texto motivada pelas "imagens" e "notícias" tanto da nossa terra (Brasil) como do exterior. Vi e li sobre violência desmedida, aprovação de leis que combatem o que não é para se combatido ou destruir o que divinamente foi criado; vi e li sobre atitudes de homens que se dizem cristãos que não corroboram com o que falam.
Enfim, fiquei meio que angustiada com tudo isso!
E resolvi escrever....
As palavras foram saindo e registrei-as acima.
Meio desconexas, meio complexas, mas verdadeiras.

Deus lhe abençoe!!!!

domingo, 25 de novembro de 2012

Aprendendo com os erros dos outros.....


Porque muitos têm o triste hábito de não aprender com a história dos outros para, assim, não cometerem o mesmo erro?
Por quê?
Quando estudamos a história de Israel, vemos que eles SEMPRE caíram em pecado por não buscarem conhecer a Deus.
Negligenciavam o estudo da Lei, valorizando mais ao que era supérfluo.
Ao ponto de crerem que o simples cumprimento dos rituais fosse o suficiente para agradarem a Deus.
Lendo os livros históricos (Josué, Juízes, Rute, Samuel, Reis, Crônicas, Esdras, Neemias e Ester) sempre vamos ver bem claro que o fato do povo não procurar conhecer a Deus por meio da leitura e estudo da Sua Lei, eles pecavam.
Mas o que mais me entristece é que hoje em dia o mesmo tem acontecido.
Os crentes têm deixado de participar das reuniões de ESCOLA DOMINICAL e de ENSINO DOUTRINÁRIO sem sentir nenhum tipo de incômodo.
Os crentes têm caído na vã ideia de que o participar de um culto domingo à noite e ir a "shows gospel" é o suficiente para poderem estar "firmes".
Até quando apenas o leite racional?
Até quando apenas comida de bebê?
Aí, quando se dá um alimento mais pesado, criticam o gosto, a consistência.
Acabam achando que a qualidade está proporcionalmente relacionada à quantidade de participação.
Israel pensou assim!
E acabou ouvindo isso de Deus:
"Meu povo foi destruído por falta de conhecimento. "Uma vez que vocês rejeitaram o conhecimento, eu também os rejeito como meus sacerdotes; uma vez que vocês ignoraram a lei do seu Deus, eu também ignorarei seus filhos." - Oséias 4:6

Pode parecer pesado, mas até hoje Israel está sofrendo consequências da sua falta de conhecimento.
Saber quem é Deus é ter FOME da Palavra. E quando se tem fome, busca-se o alimento com avidez.
Ou seja, estou com fome, então LEIO e MEDITO a Palavra de Deus diariamente e SEMPRE PROCURO PARTICIPAR das aulas da ESCOLA DOMINICAL e dos CULTOS DE ENSINO.
Desculpem o desabafo..........

Ana Paula Lopes Pinheiro
- 25.11.12 às 11:28h

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

TRANSFORMAR e não CONFORMAR!



Ser cristão implica em transformação.
O Cristianismo não se concebe de maneira real apenas na experiência religiosa vivida, mas na prática de vida, que “traz à existência” o transformar realizado por Deus, mediante a nossa fé.
Em suas cartas, Paulo sempre deixou clara essa verdade bíblica. Todas sempre trazem em seu conteúdo uma explanação doutrinária, dogmática, que se relaciona à experiência religiosa que o home pode vir a ter, mas também trazem ensinamentos que devem ser praticados, evidenciando o agir de Deus na vida humana.
A carta aos Romanos não foge dessa regra.
O seu tema principal é o plano de Deus para a salvação e justificação da humanidade e como ter uma prática cristã mediante tal experiência.
A primeira parte (Romanos 1 a 11) nos mostra EM QUE ACREDITAR.
A segunda parte (Romanos 12 a 16) nos mostra COMO DEVEMOS NOS COMPORTAR.
Ler e meditar nas palavras escritas nessa carta nos ensina a vencer a dificuldade em expressar o que realmente significa ser cristão (seguidor de Cristo). Seu teor nos faz compreender questões como fé e obras, lei e graça, justificação e, nos últimos capítulos, aprendemos como tais questões se aplicam à vida diária.
Como já dito, a partir do capítulo 12 está a aplicação de tudo o que doutrinariamente Paulo descreve até o capítulo 11. A partir desse capítulo ele se atém a mostrar que Jesus Cristo, o Salvador, também deve ser o Senhor de todas as áreas de nosso viver, sempre deixando claro que a fé se manifesta na obediência.
Interessante é notar que tal parte se inicia de um modo peculiar e diferente do que imaginamos ser CRISTÃO.
Vamos então meditar apenas em um versículo, o 2, mas deixando claro que ele não se isola de seu contexto. Desejo apenas destacar que ter uma PRÁTICA CRISTÃ não é algo que acontece de FORA para DENTRO, mas de DENTRO para FORA.

“Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” - Romanos 12.2

Analisando detalhadamente algumas expressões registradas em Romanos 12.2 podemos aprender o seguinte:

Primeiro nos é dada uma ordem para INTERROMPERMOS uma ação que está ocorrendo por influência do meio em que vivemos. “não se amoldem” está no original no tempo negativo do presente do imperativo, o que implica na interrupção de uma ação que está ocorrendo, ou seja, somos exortados e parar em ter a forma de pensar, a absorver o sistema de valores e ideias do mundo.
Não podemos negar que nossa natureza carnal tende a receber a influência do sistema vigente. Devemos estar alertas quando ao que esse sistema prega como forma de vida e barrarmos qualquer sutil influência que possa nos seduzir, dando-nos uma conformação não cristã.
Não esqueçamos que as filosofias (modo de pensar) humanas são “ensinadas” por todos os meios de informação existentes e que devemos, portanto, ter sabedoria ao utilizá-los. Atentemo-nos para o que assistimos, ouvimos, aprendemos...

Segundo, devemos, no entanto, passar por uma TRANSFORMAÇÃO (metamorphoō), que não é algo instantâneo, mas conforme está originalmente, essa transformação é uma ação continuada, um PROCESSO que acontece não externamente, mas é uma renovação qualitativa de nosso interior, tornando-nos diferentes de nosso estado passado ou da influência externa.
Apenas em três passagens bíblicas é utilizada a palavra metamorphoō, sendo que na primeira menção a ação já está completa, que é na passagem que relata a transfiguração de Cristo. Em 2Coríntios 3.18 o sentindo é o mesmo de Romanos, uma ação continuada.
Portanto, somos levados a ver a importância dessa transformação, quando nos conscientizamos que ela é a mesma que Cristo “sofreu” na transfiguração, sendo que esta foi “completa”. Ou seja, somos ensinados que desde o dia que aceitamos a Cristo como Salvador, o nosso interior começa a sofrer o processo da glorificação, que será “completo” apenas quando tivermos nossos corpos glorificados.
A SANTIFICAÇÃO DIÁRIA É O CAMINHAR PARA A GLORIFICAÇÃO!!!!
Santificação é a nossa transformação conforme a imagem de Cristo (Cl 3.10), que ocorre agora, enquanto vivemos, e se dá pela ação do Espírito Santo em nossas vidas.
Lendo 2Coríntios 3.18 compreendemos com mais propriedade:
“E todos nós , que com face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior (DE GLÓRIA EM GLÓRIA), a qual vem do Senhor, que é Espírito.”

E Como buscar essa transformação mediante a renovação do nosso entendimento?
1º.      Conheçamos o deus a quem servimos.
2º.      Conheçamo-nos.
3º.      Cultivemos um pensamento questionador e opositor em relação ao pensamento do mundo.

E isso AGRADA A DEUS!
O agir é do Espírito Santo de Deus e quem se agrada é Ele mesmo!!!
Tremendo!
Tal qual aconteceu com Enoque, acontecerá conosco se permitirmos o agir de Deus em nossas vidas.
Leia Gênesis 5.22 e Hebreus 11.5.

Enfim, uma atenção deve ser dada ao “local” da transformação.
Ela não acontece FORA, mas DENTRO, na mente, entendimento, coração.
E só assim viveremos a vontade de Deus sabendo que todos os adjetivos (boa, perfeita e agradável) relacionam-se a Ele, são para Ele.
Ora, a VONTADE DE DEUS é que pareçamos com JESUS e não há como isso ser possível apenas POR FORA.
Deus julga as INTENÇÕES, ou seja, ELE VÊ O NOSSO CORAÇÃO. Não é o que diz a história de Samuel na casa de Davi, quando foi ungi-lo como rei?
Sua vontade é BOA, AGRADÁVEL e PERFEITA!
Quando buscamos a NÃO CONFORMAÇÃO, mas a TRANSFORMAÇÃO, começamos a reconhecer mais e mais a vontade de Deus, ou seja, nos tornamos mais e mais parecidos com CRISTO (santificação) e O agradamos.
Mais fácil nos será ouvir a Sua voz e obedecê-la em qualquer situação ou lugar.
Deus não nos ditará pormenores na vida, mas Seus princípios nortearão nossas decisões diariamente.
Mas não nos esqueçamos: esse é o versículo que “abre” toda uma sequência de ensinamentos que têm a ver com nossas atitudes neste mundo, ou seja, somente agiremos em conformidade com a palavra “CRISTÃO” (ser igual a Cristo), quando nos SANTIFICARMOS!!!!
Deus lhe abençoe!!!!!!

Ana Paula Pinheiro de Oliveira
17h07 – 11/10/12

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Uma Igreja Irresistível Está Sempre Aprendendo.


Oséias 6.3
Conheçamos e prossigamos em conhecer o Senhor; como a alva, será a sua saída; e Ele a nós virá como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra.


Uma Igreja irresistível está sempre APRENDENDO.
Aprender nada mais é do que “adquirir conhecimento” e ao pensar nessa característica de uma igreja irresistível, recordei do que Oséias disse em seu livro:
“O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento.” (Os 4.6a)
E a história de Israel mostra claramente essa verdade.
Desde sua formação, essa nação foi chamada para que o Nome de Deus fosse glorificado e também viesse a ser conhecido pelas outras nações. Mas desde o início a história bíblica nos relata que eles não compreenderam tal propósito. O que vemos é que eles tinham a lei (ensino), mas não iam além das letras escritas, vivam apenas ritualisticamente e com isso acomodavam-se, na maioria das vezes distantes de Deus. Poucas foram as vezes em que acomodaram-se em obediência a Deus e, nessas poucas vezes, a geração seguinte não teve a mesma característica de obediência por não ter sido realmente ensinada.
E há um grande perigo na ACOMODAÇÃO!
Deixar de aprender, ou seja, de adquirir conhecimento, e no nosso caso, conhecimento de DEUS, é uma acomodação que nos leva à ESTAGNAÇÃO, falta de crescimento.
Tanto a igreja local como eu e você, Igreja de Deus, devemos ter consciência de que se acomodarmo-nos a uma situação, a um ritual, a um costume, a uma liturgia, a um modismo, sem dúvida deixaremos de crescer e, consequentemente, deixaremos de ser irresistíveis.
Deus nos chamou para sermos agentes de transformação em meio a uma sociedade que está em constante mudança.
E fazendo uma exegese de Oséias 6.3 podemos extrair verdades concernentes à necessidade do aprendizado:

1. Buscar o conhecimento é necessário.
2. Buscar o conhecimento demanda persistência.
3. Buscar o conhecimento promove mudanças/crescimento.
4. Buscar o conhecimento influencia outras vidas.


1. É NECESSÁRIO

Oséias inicia esse versículo dizendo: “Conheçamos...”
CONHECER no original hebraico é yādha, que significa constatar, conhecer, saber, de maneira relacional e experimental. Especificamente saber o que fazer ou pensar, de modo geral, especialmente com Deus.
Ora, se dizemos que somos de Deus, pelo que vemos na Palavra, é necessário que saibamos “o que fazer”, “o que pensar” sobre Ele. E isso vem por meio do RELACIONAMENTO e por EXPERIMENTÁ-LO.
Conhecemos a Deus por meio do...
... ouvir;
... ler;
... ver;
... bom;
... ruim.
É isso que significa ESTUDAR. Aprendemos não apenas com o que está escrito, mas com as situações e os sons ao nosso redor.
NÃO SE ESTUDA DEUS!
Mas se estuda o SEU AGIR, SEU AMOR, SUA LEI.
Pois fazendo isso, na realidade estaremos...
... VENDO QUEM SOMOS sem Ele,
... O QUE NECESSITAMOS Nele e
... O QUE É POSSÍVEL por causa Dele.
CONHECER a Deus é na verdade aprender a nos vermos e vermos o mundo por meio de Sua ótica e, com isso, termos uma prática diária completamente diferente da que estávamos antes tendo.

2. DEMANDA PERSISTÊNCIA

Oséias continua o versículo dizendo: “... e prossigamos em...”. Na NVI fica mais compreensível, pois diz: “esforcemo-nos por...”.
Buscar o conhecimento demanda de nossa parte persistência, ou seja, perseverar, ser firme ou constante.
Ainda mais nos dias que hora vivemos, onde tudo é corrido, rápido. Onde sempre há desculpas prontas para “pecadinhos” e argumentações para “pecadões”.
Onde a maioria prefere a Teologia (?) importada, da moda, das poucas palavras, da autoajuda e tantas outras, em detrimento da Teologia Bíblica, que se aprende com a Palavra e Vivendo Experiência particulares com Deus.
Não temos a cultura da MEDITAÇÃO, ponderação, “a sós com Deus”.
Não mesmo!
E o que é maravilhoso no buscar conhecer a Deus é que Ele não apenas diz “esforcemo-nos”, mas também diz “estarei contigo”.
Persistir nos faz compreender o passado (distante ou não) e o presente e, assim, modificar o futuro.
Persistir não nos deixa conformados.

3. PROMOVE MUDANÇAS/CRESCIMENTO

Continuando o versículo, Oséias diz: “como a alva a sua vinda é certa;”.
Nos originais bíblicos, essa expressão “como a alva” vem do hebraico keshahar, que significa “conforme a busca”.
O amanhecer é a uma mudança no dia (24 horas), onde a noite passa e, com ela, vai a escuridão, a ausência de luz, o medo, o cansaço, a acomodação...
E como está nos originais, essa mudança acontece conforme, na medida em que se busca, é GRADATIVO.
Sempre que buscamos e persistimos em conhecer a Deus, a consequência é CRESCERMOS, MUDARMOS.
Ele (o Sol) vai iluminando o nosso dia e, gradativamente, vamos vendo nossas possibilidades, nossas fraquezas, o que ainda falta fazer, o que deve ser parado, onde plantar, o que arrancar.

4. INFLUENCIA OUTRAS VIDAS

E Oséias termina o versículo falando “e Ele a nós virá como a chuva, como a chuva serôdia que rega a terra.”.
As estações nos tempos bíblicos eram bem demarcadas, principalmente naquela região mesopotâmica, onde as chuvas tinham o período certo de caírem e, assim, os homens plantavam e colhiam com datas marcadas.
A serôdia era certa, mas a chuva temporã, que era fora da estação própria, sempre era vista como um “presente”, pois isso significava que poderiam ter alguma produção de alimento fora da época prevista.
Para um pai de família isso significava que seus filhos não necessitariam ser vendidos como escravos ou, até mesmo, morrerem de fome.
Quando buscamos conhecimento, tornamo-nos discipuladores não apenas por meio do que falamos, mas com nossas vidas. Pois Deus vem e nos rega com Sua chuva em tempo e fora de tempo e produzimos o FRUTO DO ESPÍRITO, que serve de alimento para os que estão ao nosso redor.
E, principalmente, marcamos nossa geração, deixando para a próxima um legado espiritual que pode ser seguido, sem que tenhamos receio de que estejam seguindo preceitos e conceitos humanos, mas que estarão por meio de nossas vidas vendo CRISTO.

Por isso que uma igreja irresistível está sempre aprendendo...
... para exercer o seu ofício terreno com qualidade até chegar aos céus.

2Pe 2.1-9

Convido você a buscar conhecer a DEUS.
Muito Ele tem para lhe ensinar até que chegue à estatura de varão perfeito!

Deus lhe abençoe!!!!!

Ana Paula Pinheiro
30/08/2012 – 15h40

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Tal qual Ester....

No final de 2011 li mais uma vez a história de Ester, livro histórico da Bíblia Sagrada, que relata fatos sobre a vida de uma menina judia que foi elevada à rainha no Império Persa quando casou-se com o rei Assuero.
É conhecida esta história.
Filmes já foram produzidos e até mesmo uma minissérie foi feita.
Mas não é sobre isso que quero falar!
Quando lia o relato bíblico, grifei bem o capítulo 2 onde está descrito o modo como Ester chegou ao trono.
E passei alguns dias relendo-o...
Meditando...
Confabulando com o Senhor!
Nasceram estas palavras........

Ester teve que passar por certas etapas:
Primeiro ela foi tirada de sua "zona de conforto".
Foi retirada de dentro de sua casa, dos cuidados do seu primo Mardoqueu, que cuidava dela desde criança e que ela considerava como um pai.
Tal fato não foi algo que "ela desejava".
Ester foi levada sem que lhe fosse questionado se queria ou não...
Em um dia comum o inusitado bateu à sua porta e ela se viu vivendo uma novidade que não solicitara e, mais ainda, sendo retirada de sua residência, seu dia-a-dia, sua segurança, sua "zona de conforto".
Depois ela teve que passar por um período de limpeza.
Durante seis meses ela fez um tratamento com óleos de mirra, que era usado para poder limpar e hidratar a pele e, portanto, esfregava-se esse óleo em todo o corpo.
E por último é que recebeu o embelezamento.
Após os seis meses com o tratamento com mirra veio o período de seis meses com perfumes e cosméticos.
Em ambas as etapas ela não tinha como saber se agradaria ao rei ao ponto de se tornar sua esposa ou se seria apenas contada como mais uma de suas concubinas...
Mas teve que passar pelas etapas......
Somente depois dessas etapas é que ela recebeu o direito de apresentar-se ao rei...
Somente depois dessas etapas é que ela não apenas foi recebida pelo rei, mas AGRADOU-O de tal maneira que foi COROADA rainha.

O que aprendi com isso?
Que para recebermos a COROA que nos está reservada nos céus e até mesmo para nossas "vitórias terrenas", passamos pelo mesmo processo que Ester...

Deus nos tira de nossa "zona de conforto", onde erroneamente pensamos ser o melhor lugar, o que nos cabe ser feito, pois nos agrada.
Não queremos sair, pois o que é morno, é confortável, traz uma certa tranquilidade, é conhecido, não dá trabalho, tem "comida" e "bebida", tem "cama".
Gostamos do que a adoção nos proporciona...
Mas para termos a Coroa, não podemos continuar na "zona de conforto"!
É necessário que sejamos dela tirados...
E que passemos pelo processo de "limpeza".
Onde o amargo da mirra devemos também provar e por ela sermos limpos de todas as impurezas que o pecado nos acarretou e que fizeram com que nossa personalidade expressasse apenas suas fraquezas.
Ser purificado é um processo doloroso.
Mas é um processo temporário....
Logo após Deus nos faz belos, dando-nos dons espirituais, que serão o perfume que exalaremos para que todos ao nosso redor vejam que Ele é o merecedor de toda glória pela coroa que receberemos.

Não se esqueça!
Ester passou por isso tudo porque o rei Assuero assim quis para ter uma rainha...
Nós também por isso tudo passamos, porque o Rei Jesus assim quer para nos ter ao Seu lado...

Deus lhe abençoe!!!!

31/julho/2012 - 22h42

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Nomes...


Você sabe quem foi Samua?
E Safate?
Lembra de Igal, Palti, Gadiel?
Por acaso já ouviu sobre Gadi, Amiel, Setur, Nabi e Güel?
Não estou falando para você sair agora e pesquisar sobre estes nomes.
Não!
Estou pedindo para fechar os olhos e buscar no seu arquivo de memórias algum fato bíblico que você tenha lido ou ouvido, desde sua infância, em que tais nomes foram mencionados.
Lembrou?
Eu tentei.......
E tentei mesmo!
Mas sinceramente lhe digo que NÃO ME LEMBREI de nada!
Fiz este teste ao ler um livro onde o autor fala sobre legado, ou seja, aquilo que deixamos registrado em nossa vida e que é transmitido. E o autor pergunta sobre esses homens acima.... Mas, não lembrei quem eram.

Uma das coisas que sempre nos esquecemos é que nossas ATITUDES e REAÇÕES é que ficam realmente marcadas e faz com que nosso NOMES sejam lembrados quando fatos e outros são mencionados.
Você com certeza não se lembrou dos nomes acima.
A não ser que tenha uma memória prodigiosa, ao ponto de se lembrar de todos os nomes bíblicos e situações em que eles estão relacionados.
Mas se eu lhe perguntar: — Você sabe quem foi Calebe? Sabe quem foi Josué? – a resposta muda.
Pois a história destes dois homens é sempre relatada nas escolas dominicais e cultos domésticos (nas casas daqueles que prezam por isto) e também em muitas pregações.
Falar os seus nomes nos faz automaticamente recordar da expedição que Moisés enviou à terra prometida e como eles reagiram ante tudo que viram.
E você sabia que os nomes que eu disse lá no início também são de homens que compuseram tal expedição?
Leia então Números 13, logo no início....

Pois é.......

A lição que aprendemos com tal fato é que os dez nomes “esquecidos” são de homens que ao verem as dificuldades que deveriam enfrentar para poder tomar posse do que lhes era dado por Deus, temeram, não creram, olharam para suas limitações e não para quem lhes estava dando aquilo tudo.
Tal qual esses homens, também temos promessas que Deus nos faz e que em momentos se revelam impossíveis de serem alcançadas e nossa reação é a mesma, ou seja, olhamos com os olhos carnais e não conseguimos ver nada além dos gigantes.
Mas Josué e Calebe viram, pois o olhar que eles usaram foi o da fé em Deus, o crer de modo inabalável naquilo que Ele lhes havia falado: — A terra é de vocês!
Nessa promessa estava explícita a Glória ao Nome de Deus por meio de suas vidas e eles jamais desistiriam disso por causa de qualquer dificuldade.
E por defenderem sem medo tal promessa, entraram na terra prometida, viram os “gigantes” serem derrubados, comeram dos frutos e seus nomes são sempre lembrados....
Deus foi glorificado!

Mas e os outros dez?
Quem são mesmo?
Não entraram na terra, não viram os “gigantes” serem derrubados, não comeram dos frutos.......
São hoje apenas mencionados como medrosos....... sem nomes.....

Meu conselho para você é este: CONHEÇA mais e mais o Deus que você serve!
Fazendo isto, aprenderá a descansar em Seus braços e a desfrutar de todas as bênçãos que Ele nos tem prometido em Sua Palavra.
Que você seja lembrado como alguém que EM TUDO GLORIFICA O NOME DE DEUS, mesmo nas dificuldades.

É a única forma EXCELENTE de se ter os nossos nomes lembrados.

"Subamos e tomemos posse da terra. É certo que venceremos!" (Nm 13.30b)

Em Cristo,

Ana Paula

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Não temamos!!!

“Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se pode abalar, mas permanece para sempre.
Como os montes cercam Jerusalém, assim o Senhor protege o seu povo, desde agora e para sempre.
O cetro dos ímpios não prevalecerá sobre a terra dada aos justos; se assim fosse, até os justos praticariam a injustiça.
Senhor, trata com bondade os que fazem o bem, os que têm coração íntegro.
Mas aos que se desviam por caminhos tortuosos, o Senhor infligirá o castigo dado aos malfeitores.
Haja paz em Israel!”
(Salmo 125)

Nas palavras aqui registradas evidencia-se que a segurança que tanto necessitamos se conquista através de uma total confiança em Deus.
Ele não muda!
Ele é fiel!
Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se pode abalar, mas permanece para sempre.” (Sl 125.1).
Sua proteção sobre nossas vidas é inabalável.
Para que nos alcancem, é necessário que O atinjam primeiro.
Como isso é impossível, nada nos atingirá.
Essa segurança nos é garantida em Cristo: “aquele que nasceu de Deus o protege, e o maligno não o atinge.” (1Jo 5.18b).
Mas não podemos nos esquecer que há uma condição: estarmos sob Suas mãos, fiéis, com os corações íntegros. Pois se permitirmos que as dificuldades ou situações nos desviem do caminho que devemos seguir, claramente está escrito neste salmo que o castigo destinado aos malfeitores recairá também sobre os que assim fazem.
CONFIEMOS EM DEUS!
Não temamos!!!!
Como diz o hino: não temamos, pois Ele nos escolheu...

terça-feira, 5 de junho de 2012

Ouvindo o Silêncio Divino.


“A Ti levanto os meus olhos, a Ti, que ocupas o teu trono nos céus. Assim como os olhos dos servos estão atentos à mão de seu senhor, e como os olhos das servas estão atentos à mão de sua senhora, também os nossos olhos estão atentos ao Senhor, ao nosso Deus, esperando que ele tenha misericórdia de nós. Misericórdia, Senhor! Tem misericórdia de nós! Já estamos cansados de tanto desprezo. Estamos cansados de tanta zombaria dos orgulhosos e do desprezo dos arrogantes.” (Salmo 123)
====

O salmista faz uma súplica, um lamento individual que adquire dimensões coletivas na sua segunda parte.
Este Salmo nos remete ao Provérbio 4.25, que diz: Olhe sempre para frente, mantenha o olhar fixo no que está adiante de você.

Ele expressou o que a sua alma estava sentindo em relação ao desprezo e à arrogância dos que eram poderosos: cansaço.
Não um cansaço físico, mas emocional e espiritual por não estar mais suportando tanta humilhação.
Muitas vezes também sentimos esse cansaço.
Ser humilhado, ou qualquer outra situação desagradável, difícil, nos exaure ao ponto de desejarmos parar e, até mesmo, voltar a uma possível posição que anteriormente parecia até ser confortável.
Só que o Salmo nos mostra que o escritor pôs em prática o que está no Provérbio acima: o seu olhar permaneceu fixo não nos poderosos, mas no Senhor.

Somente Nele poderia obter o tão necessário descanso para alma.

Assim como os olhos dos servos estão atentos à mão do seu senhor, e como os olhos das servas estão atentos à mão de sua senhora, também os nossos olhos estão atentos ao Senhor, nosso Deus, esperando que Ele tenha misericórdia de nós. (Sl 123.2).

Que verso!

Vemos claramente, através das figuras de um servo e seu senhor, da serva e sua senhora, que Deus, transcendente, soberano, não está inalcançável.
E mais ainda, também mostra que ao conhecermos bem o Deus a quem servimos, não há necessidade nem mesmo de "ouvir algo", mas apenas o vislumbrar de um gesto de Suas mãos já será a evidência da misericórdia desejada.
Isso é tremendo!
Pois é a compreensão de que até no silêncio Deus está agindo....

Você conhece realmente o Senhor!
Deus não nos trata como escravos, mas nos mostra que ao servi-Lo de coração estamos expressando valores e dignidade que emanam diretamente Dele.
Independente da situação vivida (boa ou não), Ele sempre está pronto para nos ouvir.
Sempre!
Então, ajamos sempre dessa forma: servindo-O liberalmente, conhecendo a profundidade de Sua Pessoa e emanando em nossas vidas a Sua vontade.
Ele nos evidenciará através de Suas Poderosas Mãos (Seus feitos) a Sua misericórdia e amor.
E ouviremos o que o Seu silêncio está a nos dizer....

Deus lhe abençoe!!!

=====

Observação: a foto acima é do Pedro, filho do Pb. Cristiano e da Jhanny - amigos/irmãos que tenho aqui na AD em Itaperuna-RJ.