segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Apenas um conselho. Ou seria desabafo?

COMPARTILHAR
Verbo transitivo que significa "ter parte, participar de; partilhar com alguém".

Fiquei com isso matutando em minha mente agora pela manhã...

O advento das redes sociais trouxe muitos benefícios e, para mim, o melhor foi o de poder reencontrar pessoas da nossa história com as quais perdemos contato (eu reencontrei amigos de infância e adolescência das igrejas por onde meu pai pastoreou e dos colégios onde estudei) e, também, conhecer outras que devido a distância ou ao ritmo diário de vida poderíamos não ter o privilégio de conhecer (e tenho tido esse privilégio, conhecer excelentes pessoas, próximas e distantes).
Mas há algo que as redes sociais trouxeram e que tenho notado poucos terem a percepção do que seja: estamos mais expostos naquilo que mais evidencia o que somos, nosso interior, nosso PENSAR.
Sim!
Podemos até não descrever tudo no nosso perfil, esconder até mesmo nossa fisionomia, mas quando vamos naquele quadradinho que está escrito "no que você está pensando agora", "escreva algo" ou "what's happening?", nós sempre expomos nosso pensar.
Muita das vezes repassamos, reproduzimos, apenas alguma frase, figura de outros.
Ou, outro perigo: vamos com a maioria, sem questionar se tal está realmente sendo coerente ou correta naquilo que está propagando.
E pensando nessa palavra COMPARTILHAR, meu coração ficou pesaroso...
Olha o significado de novo lá no início.... Viu?
É por isso que devemos ter CUIDADO!
Se eu clico em 'compartilhar' ou 'retweet', eu estou AFIRMANDO que aquela publicação está de acordo com algo que eu também acredito ou vivo.

Lembro-me de Paulo, o apóstolo.
Em todas as suas cartas ele nos mostra que sempre procurou viver aquilo que acreditava, ao ponto de dizer que preocupava-se em expor "Cristo, e este crucificado".
Esse era o seu modo de pensar e foi isso que ele praticou.
E ele também nos ordena em muitas passagens a 'renovarmos nosso entendimento', 'termos a mente de Cristo', 'não termos mente dividida', termos 'mente frutífera' e outras tantas relativas ao nosso modo de pensar.
Ora, se Deus usa Paulo para deixar-nos escrito tantas passagens dizendo-nos para ter tal cuidado com nosso pensamento, então tenhamos!


Nossos atos nada mais são do que a expressão do nosso pensar.
Nosso falar apenas revelará aquilo que está em nosso pensamento.

Faça então uma auto-análise...
Temos a tendência de julgar os grandes feitos ou mal-feitos.
Mas nos pequenos feitos e mal-feitos o caráter também é revelado.

Não creio que haja misericórdia ou amor quando vamos com a maioria contra a atitude errada de outrem achando-nos senhores da justiça.
Corremos o risco de não estar revelando aquilo que mais devemos revelar: uma vida de caráter transformado.
Pois quando esquecemo-nos de buscar a renovação do nosso entendimento por meio do conhecer o Deus que servimos, vamos aplaudir os desfortúnios de homens cruéis e compartilhar as (in)justiças feitas com as próprias mãos ou coadunar (mesmo em uma simples frase) com outras atitudes que a humanidade tem evidenciado, revelando apenas que estamos distantes do parecer-se com Cristo, como Deus nos ordena.

Por favor!
Não estou dizendo que sou a favor de tais crueldades humanas e que não devemos combatê-las!
Não!
Quero apenas que eu e você possamos aprender dia a dia a sermos realmente agentes de transformação, usando todas as ferramentas possíveis, inclusive as redes sociais, para que tal transformação ocorra.
E nisso temos apenas que ser CARTEIROS (Um texto que escrevi. Já leu? Sim ou não, esse é o link: Somos Carteiros.)

Que todos os dias iniciemos e terminemos nosso dia dizendo:
"Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo Te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno." (Sl 139.23-24)


Nenhum comentário: