terça-feira, 6 de setembro de 2011

Pensando em parar...


"Consagre ao Senhor tudo o que você faz..." (Pv 16.3)


Tenho tido receio em expor as palavras que estão em minha mente.
Pois quando revelamos um pensar por meio das letras, estas podem acabar não sendo lidas conforme o que se almejava.
Já o falar é algo mágico.
Quando falamos, por mais que não possamos calar o que foi dito, as palavras se misturam ao vento e acabam ganhando suas características naturais, ou seja, acabam desaparecendo com o tempo.
Já as letras grafadas, não!
À elas damos o direito de serem interpretadas conforme o que o coração do leitor esteja ansioso para receber, independente dos tempos e estações.
E isso é perigoso!
Quem escreve sempre estará revelando seu "eu", não adianta!
Não adianta dizer que está fazendo uma leitura das situações, que está apenas expondo algo recebido.
Não!
Sempre escrevemos nosso modo de ver e entender, nossas emoções estão ali nas entrelinhas.
E será que têm me lido mesmo?
Será que o que exponho dá para me revelar?
Devo continuar a escrever?
Acho que sim....
Pois se não fosse para continuar a fazer isso, as palavras fugiriam da minha mente.
Iriam esconder-se nas tantas voltas que existem no cérebro para que não fossem encontradas.
Só que não é isso que acontece.
Pelo contrário!
Elas brotam em profusão.... e como!
Então, lanço fora todo o medo e escrevo!
Foi assim que Deus me criou...... a Ele todo o louvor por tal!

Um comentário:

Mila Suzano disse...

Não pare de escrever! Não pare!