sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Seguir..... Caminho....

Meus passos guiados são
por quem me deu a salvação.
Ando em perfeita luz,
quem me guia é Jesus.


A estrada é tortuosa,
porém é muito gloriosa.
À frente: espinhos e dores.
Atrás: as mais belas flores.


Dela não me desviarei.
Ao meu Cristo seguirei.
Esse caminho de esplendor
me conduz ao lar de amor.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A melodia


Há uma melodia que constantemente ressoa dentro do meu ser.
As notas não sei...
Mas sei que é entoada suave e mansamente em cada canto dentro de mim.
Não quero jamais esquecê-la!
Não quero que ela desapareça!
Mas como?
Será que eu deveria tentar murmurá-la para que alguém possa descobrir suas notas?
Será que eu deveria tentar cantarolá-la para que alguém possa registrá-la?
Será que eu deveria escrevê-la?
Expô-la através das letras?
Será?
Será que ela pode ser expressa assim, com palavras?
Será?
Talvez falte algo...
É uma melodia que jamais foi ouvida.
Como entoar?
Como posso expressar algo que nunca foi tocado?
Mas...
Ela vai perdurar.
Pois vou continuar permitindo que seja cantada dentro de mim.
Mesmo que ela não venha a ultrapassar os limites do meu interior.
E por ouvi-la, ela saberá que estou lhe dando atenção e, assim, poderá dia a dia aumentar sua intensidade.
Tal intensidade poderá fazer com que um dia eu possa conhecer suas notas e cantá-la.
Sim!
Cantar a mais bela música que jamais entoei.
Vou cantá-la!!!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

"Eu"

O nosso "eu" não é completamente compreendido.
Nem mesmo por nós.
Por mais que achemos saber o tudo e o todo que nos compreende e envolve, sempre deixamos de perceber o oculto, pois temos segredos em nossos corações que nem mesmo nós sabemos.
E temos que pensar que tal coração está preso dentro de um corpo que é regido por uma lei que nos distancia do que satisfará por completo o "eu".
Tal lei quando obedecida, conferirá ao "eu" momentos apenas, o que não lhe dará a certeza da eternidade.
E isso é ruim!
Meio louco isso!
Mas é verdade!
E nos dias que vão se passando, mais e mais chegamos a essa compreensão: NÃO SABEMOS QUEM SOMOS REALMENTE!
Apenas idealizamos, projetamos de acordo com as tantas informações que nos são fornecidas pelos nossos sentidos.
Mas o que o nosso "eu" realmente já tem desde o início, isto não podemos compreender por total.
Por mais que tentemos.
E o mais hilário nisto, é que o "eu" está em nós.
Como não conhecer por completo aquilo que nós possuímos?
Como não reconhecer o seu compasso?
Como não ouvir as palavras que têm nele o seu nascimento?
Essa busca por se autoconhecer acaba nos levando ao extremo da incompreensão, da sã loucura até, e temos a vontade de sair caminhando rumo ao horizonte das respostas.
E tal jornada é por uma estrada com paisagens que se modificam constantemente, pois vemos aquilo que nossas emoções expõem por nossos olhos.
Por serem por eles expostos, há momentos que até mesmo uma bela paisagem acaba não sendo vista por total, pois as lágrimas deixam tudo embaçado, disforme.
Só que ao concluirmos que nem mesmo o caminhar em busca do horizonte de respostas adiantará, paramos!
Paramos!
Mas, bendito seja tal parar!!!!
É quando paramos que damos condições para que o nosso Criador, quem nos deu esse "eu", possa nos falar.
Quando paramos é que ouvimos!
Quando paramos é que prestamos atenção nos detalhes!
Quando paramos é que aceitamos que jamais compreenderemos em total o nosso "eu"!
Bastando apenas que OUÇAMOS.
Que não nos iludamos com os sons do desespero ou do nada (Sim! Ele também tem som. E é o pior deles, pois nos faz sentir a agonia.).
Sabe o que ouviremos se prestarmos atenção?
Ouça.....
Cristo falou que o Espírito Santo seria nosso companheiro, mestre, advogado, e que estaria conosco até o fim.
Ele é quem vai até o mais profundo do nosso "eu" e o expõe, até mesmo com gemidos inexprimíveis.
O Espírito Santo, que é Deus, nos conhece em todos os mínimos detalhes e faz com que coloquemos sobre o altar até mesmo o que não sabemos por completo.
É Ele!
Não nós!
Por isso que devemos nos deleitar Nele...
Deixar de querer sair andando em busca do horizonte de respostas.
Pois jamais o alcançaremos!
Só nos cansaremos mais ainda e, pior, podemos acabar nos escondendo em cavernas de medo, depressão...
Convido-lhe a juntos pararmos e ouvirmos nosso Deus.
Quer?
Sei que sim.......


Deus lhe abençoe!!!!!


"Sonda-me ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conheces as minhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno." (Sl 139.23-24)

Pensando em parar...


"Consagre ao Senhor tudo o que você faz..." (Pv 16.3)


Tenho tido receio em expor as palavras que estão em minha mente.
Pois quando revelamos um pensar por meio das letras, estas podem acabar não sendo lidas conforme o que se almejava.
Já o falar é algo mágico.
Quando falamos, por mais que não possamos calar o que foi dito, as palavras se misturam ao vento e acabam ganhando suas características naturais, ou seja, acabam desaparecendo com o tempo.
Já as letras grafadas, não!
À elas damos o direito de serem interpretadas conforme o que o coração do leitor esteja ansioso para receber, independente dos tempos e estações.
E isso é perigoso!
Quem escreve sempre estará revelando seu "eu", não adianta!
Não adianta dizer que está fazendo uma leitura das situações, que está apenas expondo algo recebido.
Não!
Sempre escrevemos nosso modo de ver e entender, nossas emoções estão ali nas entrelinhas.
E será que têm me lido mesmo?
Será que o que exponho dá para me revelar?
Devo continuar a escrever?
Acho que sim....
Pois se não fosse para continuar a fazer isso, as palavras fugiriam da minha mente.
Iriam esconder-se nas tantas voltas que existem no cérebro para que não fossem encontradas.
Só que não é isso que acontece.
Pelo contrário!
Elas brotam em profusão.... e como!
Então, lanço fora todo o medo e escrevo!
Foi assim que Deus me criou...... a Ele todo o louvor por tal!