terça-feira, 23 de agosto de 2011

Apenas versos...

Um pequeno poema que escrevi há dias, meses passados.
Até quis escrever outros depois dele.
Mas por hora se resume nisto mesmo...........
====


No mais íntimo, no meu interior,

ressoa uma voz que não é um clamor.
Não consigo as palavras definir,
mas não receio à ela ouvir.

Essa voz percorre as recâmaras
dos sonhos e pesadelos, dos dramas,
preenchendo-as com sensações
que se deparam com alguns senões.

Mesmo assim ela não se intimida,
persiste seu ressoar e ao novo convida.
Permito-a em total se extravasar,
sem me preocupar com o questionar.

E não temo o que me faz sentir.
Nem receio a tal voz permitir
me dizer palavras que não trarão dor.
Creio que me mostrarão o que é o amor.