sábado, 27 de agosto de 2011

Desconstruir.... Reconstruir...

“A ruína é um caminho que leva à transformação.”
Ouvi essa frase em um filme que assisti.
E ela me fez pensar.... pensar.... pensar....
Ruína é algo que acabou, desmoronou, foi posto abaixo por vontade própria ou não.
A imagem que vem à nossa mente ao mencionar “ruína” é de destroços, sujeira, final.
Mas se ficarmos estagnados ante ao que tal palavra nos faz visualizar, nada ocorrerá.
Como a frase bem diz, ela é apenas um caminho que leva à transformação.
Desconstruir para poder reconstruir.
Não é fácil!
No momento da desconstrução, da ruína, o feio se expõe, os canos que estão rompidos se tornam visíveis, o mofo mostra que ali estava.
E não falo isso fisicamente, estou falando da desconstrução interna pela qual devemos passar.
É o nosso “eu” sendo exposto, nossas convicções revelando suas fragilidades, preconceitos sendo confrontados, medos sendo revelados.
Não é algo tão suportável ou belo, mas necessário.
É assim a lei da aprendizagem!
Olha pelo que Moisés teve que passar!
E José?
E Pedro, Paulo e tantos outros personagens bíblicos.....
Todos tiveram que desconstruir para que fossem reconstruídos dentro do querer de Deus.
Todos tiveram que ver a ruína interna para que pudessem ser moldados conforme o plano eterno.
Acostumamo-nos.
Acomodamo-nos.
Por isso que Ele vem e permite que mudanças externas ocorram para que internamente seja posto abaixo tudo o que tem impedido o nosso crescer.
Deus quer que mudemos!
Ele quer reconstruir-nos para que possamos viver o excelente que tem para nós.
Por isso que hoje eu lhe digo: não se assuste com a ruína!
Veja nela o caminho para a transformação divina que Deus está lhe proporcionando.
Mudanças nos fazem crescer e crescer dói.
Mas jamais estaremos sós nesse processo.

Pense nisso!!!!!!

Deus lhe abençoe!

A minha palavra...


Eu estou em busca da minha palavra!
Não entendeu?
Vou repetir: eu estou em busca da minha palavra!
Estou em busca do que ao simples mencionar me defina não para outros, mas para mim mesmo.
Só que isso significa que letras estão procurando dar as mãos em minha mente!!!
Ou seja, não é apenas uma palavra que baila dentro de mim, mas palavras e mais palavras...
Então, como saber qual seja a minha palavra?
Escrevendo!
Texto, poema, o que será?
Será aquilo que a alma deseja nesse momento.
Só que retorno ao início: eu estou em busca da minha palavra!
Uma apenas!
Mesmo que seja com uma sílaba: má, vã, lã, ré, fé, sé, vil, mil, sim, pó, só....
Hum! Será SÓ?
Não!
Acho que ela pode ser paroxítona: árdua, pacata, família, antiga, capitular, paradoxal, ....
Que coisa difícil!
Pois há ainda as dissílabas, proparoxítonas e umas oxítonas também. Há os advérbios, verbos e por aí vai.
E eu quero apenas uma!
Alguém pode me ajudar?

Obrigada!

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Apenas versos...

Um pequeno poema que escrevi há dias, meses passados.
Até quis escrever outros depois dele.
Mas por hora se resume nisto mesmo...........
====


No mais íntimo, no meu interior,

ressoa uma voz que não é um clamor.
Não consigo as palavras definir,
mas não receio à ela ouvir.

Essa voz percorre as recâmaras
dos sonhos e pesadelos, dos dramas,
preenchendo-as com sensações
que se deparam com alguns senões.

Mesmo assim ela não se intimida,
persiste seu ressoar e ao novo convida.
Permito-a em total se extravasar,
sem me preocupar com o questionar.

E não temo o que me faz sentir.
Nem receio a tal voz permitir
me dizer palavras que não trarão dor.
Creio que me mostrarão o que é o amor.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Divagando ou filosofando?

O simples fato de não querer algo significa muito!!!!!
Pois um NÃO antes de certas palavras evidencia verdades que jamais imaginaríamos acontecer.....
Inclusive sentimentos.....

Um querer que se esconde entre palavras simples, acaba mostrando sua face quando o NÃO se posta todo pomposo diante do querer, dando-lhe uma outra conformação que nem imaginávamos ser possível.


Um exemplo?
Coloque um NÃO antes dessa seguinte frase:
____ ser alguém coerente.


Ah!
Um NÃO ali revela que a coerência não existe e que na verdade o sentimento que mais prepondera no coração de quem isso diz, nada mais é do que medo em se entregar ao novo que está à frente.
Pois a falta de coerência revela uma desconexão entre razão e emoção e tal fato só ocorre quando diante de si existe uma novidade jamais experimentada ou, então, não vivida em sua totalidade, que leva os passos serem dados com medo e até paralisados.
E se esconde tal sentimento com a frase: ESTOU SENDO COERENTE!
Coerente com o quê?
Coloque logo o NÃO ali à frente e reconheça que é necessário transpor certas razões para que sejam alcançados patamares mais altos, para que se vivencie novidades, para que sequem-se lágrimas.
Coloque logo o NÃO ali à frente e conscientize-se de que os fatos têm revelado outra realidade e que por querer esconder-se diante de uma premissa não será o suficiente para que a alegria seja totalmente vivida.
Coloque logo o NÃO ali à frente e grite bem alto: - NÃO ESTOU SENDO COERENTE!


Não estou sendo coerente, porque o que para muitos possa ser incompreensível, na verdade é a mais sã atitude que eu posso tomar.
Não estou sendo coerente, porque o que para muitos possa ser algo que contrarie o status quo, nada mais é do que o estabelecimento da verdadeira inteireza de vida.
Não estou sendo coerente, porque as mudanças que devem ser experimentadas nem sempre serão as que agradarão a todos.
Não estou sendo coerente, porque é loucura para esse mundo viver o querer divino!!!!!
É sim!!!!!!


Incompreensível o que escrevi?
Para mim ainda está sendo também!
Estou apenas obedecendo uma ordem ilógica que meu coração está dando ao meu pensamento e deixando as palavras saírem.....
Afinal, jamais impedirei que o NÃO surja na minha coerência, pois isso estagnaria toda uma profusão de palavras que necessitam expor o que sentem.


Quem conseguir entender, que me revele.....
Quem não conseguir, junte-se a mim......


O importante é jamais deixarmos nossos sentimentos ficarem presos em celas de medos, incompreensões de outréns ou de achismos.


VIVAMOS!!!!


E a melhor forma de se viver é essa: colocando um NÃO diante das frases que nos levam a tais celas.


"Cada coração conhece a sua própria amargura, e não há quem possa partilhar sua alegria." (Pv 14.10)


Deus lhe abençoe!!!!

domingo, 14 de agosto de 2011

A Igreja entre a Cruz e o Pentecoste

Há uns dias eu li a seguinte frase:


A igreja parou entre algum lugar entre o CALVÁRIO e o PENTECOSTE - J. Briscoe


Ela me fez ficar matutando por um bom tempo.....
E, não sei se essa foi a intenção do Briscoe, mas em meu coração nasceram as seguintes palavras:


===========

A igreja entre a cruz e o pentecoste...
... está profundamente triste.
... é duvidosa.
... está decepcionada.
... está com medo.

É uma igreja doente emocionalmente!

A igreja entre a cruz e o pentecoste...
... está tal qual Maria Madalena quando foi ao sepulcro e encontrou-o vazio.... está tão presa à sua tristeza que se esqueceu das tantas vezes que o milagre havia sido prometido, com o coração chorando ao ponto de seus olhos não conseguirem nem mesmo ver tal milagre quando este aconteceu.
... está tal qual Tomé.... está duvidando ao ponto de sua mente estar perturbada e questionar se o milagre é verdadeiro ou não; está com dúvidas geradas pela dor, permitindo que sua mente se inunde de questionamentos, imposições humanas para que possa crer ou não no milagre.
... está tal qual os dois discípulos no caminho de Emaús...... está decepcionada por não ter visto os fatos ocorrerem da forma como queria; o que pensava não aconteceu do modo como queria e tal decepção a faz nem mesmo crer no milagre, mesmo que esse já tenha sido concretizado e testemunhado; prefere o
comodismo, retornar para sua zona de conforto, afastar-se do objetivo.
... tal qual Pedro, quando retornou para a pesca.... está com medo de seguir o que lhe fora proposto, por causa do erro cometido em um momento que sua atitude foi provada; está então achando-se incapaz, inábil, inapropriada; está fugindo, escondendo-se.

Como igreja não estamos imunes a isso, pois podemos vivenciar o desespero, a dúvida, o medo, a decepção e tantos outros sentimentos tidos por alguns até como pecaminosos, mas não o são.
Tais personagens e fatos registrados na Palavra de Deus ocorreram com pessoas tementes, mas que haviam passado por uma situação que abalara-os de tal modo que o seu emocional foi atingido brutalmente, refletindo-se no seu espiritual.
Estavam no limiar, no extremo de suas dores.....

Mas.....
E é aí que meu coração se alegra mais ainda em Deus!
Mas.....

A igreja que está entre a cruz e o pentecoste...
.... é chamada por Cristo, que lhe diz "Vá e diga que sou Eu!".
.... recebe inesperadamente a visita de Cristo e ouve Dele: "Toque em mim!".
.... é procurada por Cristo ainda no caminho, que a exorta dizendo: "Como você custa a entender! Sou Eu!".
.... é recebida por Cristo na praia, que lhe pergunta: "Tu me amas?"

E AQUELA igreja que estava entre a cruz e o pentecostes não apenas ouviu o que Cristo lhes falou, mas creu, obedeceu, agiu, retornou.....

Ela estava no cenáculo reunida quando foi revestida com Poder vindo do Alto e, desde então, tal igreja não mais agonizou, duvidou, fugiu ou escondeu-se.
Pelo contrário, fez uma das mais lindas orações registradas nas Sagradas Escrituras, que está registrada em Atos 4.24-31:


"E, ouvindo eles isto, unânimes levantaram a voz a Deus, e disseram: Senhor, tu és o Deus que fizeste o céu, e a terra, e o mar e tudo o que neles há;
Que disseste pela boca de Davi, teu servo: Por que bramaram os gentios, e os povos pensaram coisas vãs?
Levantaram-se os reis da terra, E os príncipes se ajuntaram à uma, Contra o Senhor e contra o seu Ungido.
Porque verdadeiramente contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel;
Para fazerem tudo o que a tua mão e o teu conselho tinham anteriormente determinado que se havia de fazer.
Agora, pois, ó Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que falem com toda a ousadia a tua palavra;
Enquanto estendes a tua mão para curar, e para que se façam sinais e prodígios pelo nome de teu santo Filho Jesus.
E, tendo orado, moveu-se o lugar em que estavam reunidos; e todos foram cheios do Espírito Santo, e anunciavam com ousadia a palavra de Deus."

Ela até passou por situações mais agonizantes, de sentir até menos na carne as dores, mas agora seus olhos estavam abertos para a compreensão de que o que aqui passavam não se comparava ao que Cristo lhes havia conquistado.

Igreja.... não fique parada entre a cruz e o pentecoste!
Ouça o que Cristo está lhe dizendo e viva o sobrenatural de Deus...

Deus lhe abençoe!!!!

Para melhor compreensão do que escrevi, leia:
- João 20.10-18;
- João 20. 24-29;
- João 21.15-19;
- Lucas 24.13-33.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Um grito contido: CHEGA!



"Minha vida só me dá desgosto; por isso darei vazão à minha queixa e de alma amargurada me expressarei." (Jó 10.1)

O que mais amo na Palavra de Deus é isso: ela nos mostra a verdade da alma do homem até mesmo quando este está passando por uma provação.
Jó estava  no auge de seu tormento pessoal......
Estava na mais agoniante dor, isolado, pobre.
Um homem justo.
Mas que passava por um momento de sua vida que não há palavras humanas possam explicar.
E, para deixá-lo mais ainda amargurado, três amigos se aproximaram para lhe dar conselhos que machucaram mais ainda.

Jó se amargurou!
Jó chorou!
Jó reclamou!
Jó expôs toda as incompreensões que sua alma sentia por estar naquele estado..... momento.
Os amigos diziam: Você está em pecado! Deus está longe! Você está colhendo as consequências do erro!
Que conselhos!
Que conforto!
Jó GRITOU a Deus: "Afasta-te de mim, para que eu tenha um instante de alegria!" (Jó 10.20)

Quantas vezes na nossa jornada nossa alma também deseja dar tal grito.
Não compreendemos as situações e achamos que fomos esquecidos, relegados, deixados por Deus.
Chagas externas ou internas nos inquietam.
Permanecemos na jornada, mas não conseguimos andar.
Paramos!
Não saímos da estrada, mas não andamos.
Preferimos ficar ali, usando nossas atitudes, que são cacos, para poder aliviar uma dor por segundos.
Preferimos ficar ali, ouvindo palavras que podem até parecer amigas, mas que não atingem o âmago da dor ou não revelam realmente compreensão.
Preferimos ficar ali, alimentando-se com migalhas que nos são dadas e definhamos sem perceber.
E chega uma hora que gritamos!
Chega uma hora que a alma não consegue mais esconder e diz:
CHEGA!
Não entendo nada disso!
Não sei porque tudo isso!
Não consigo responder a todas essas interrogações que estão na minha mente!
Não existe nada mais que eu possa fazer!
CHEGA!

Eu não busquei essa dor.....
Eu não provoquei essa situação.....
Eu não estou entendendo nada......
CHEGA!
Eu sei que nada mereço.
Nem mesmo tão grande salvação.
Mas, CHEGA!
Quero sentir um pouco de alegria antes de morrer.... física ou emocionalmente.....


Não é verdade?
Não há momentos que queremos dar esse basta?


Por isso que eu amo a Deus!
Porque Ele nos deixou uma história que claramente nos diz que Ele compreende tais dias.
Ele sabe que há momentos que beiramos o precipício da depressão, amargura.
ELE SABE!


Meu querido leitor, Deus sabe de tudo!
E em momento algum nos deixou.
Nem mesmo quando tal qual Jó nossa alma assim exclamou: CHEGA!
Deus estava tratando do caráter de Jó.
Deus estava revelando-se para ele como nunca antes havia se revelado.
E é por isso que somos provados.
Para mais e mais parecermos com Cristo e para produzirmos o Fruto do Espírito.
Ele quer que o conheçamos não pelo que ELE FAZ, mas QUEM ELE É.


Não permitamos que nossas provações tornem-se em tentações.
Não!
Que venhamos a dar o GRITO, mas aos pés da cruz.
Deus ouve e vem......
Deus ouve e conforta.....
Deus ouve e fala!


Não fiquemos apenas parados no caminho no momento da provação....
Mesmo arrastando, SIGAMOS!

Você ouviu o hino acima?
Em momentos da ministração, o Davi Sacer diz:
"Talvez você esteja ouvindo e obedecendo a voz do Senhor.
E obedecer a voz do Senhor lhe levou para o meio da tempestade....
Mas a Palavra do Senhor não foi 'Vão e vocês vão enfrentar uma tempestade!'.
A Palavra do Senhor foi 'Vão atravessar até o outro lado!'....
O que Deus disse para você não foi 'Vá e enfrente aquela batalha!'.
Não! Ele disse 'Vá e atravesse para o outro lado!'.
Significa que se no meio do percurso se levantar uma tempestade,
uma luta contra você, a Palavra do Senhor ao seu respeito diz 'Vá até o outro lado!
Não há nada no meio que aconteça, não há nada que possa lhe parar.
A Palavra que Deus liberou é que Ele vai lhe encontrar do outro lado.'"

E é isso mesmo!
A ordem é chegar do outro lado, na Canaã Celestial, no Porto Seguro dos Céus, nossa Morada Eterna.
Deixemos de querer fazer o que apenas o Deus poderoso pode fazer, que é acalmar a tempestade.
Deixemos de buscar com nossa mente finita as respostas que não existem, pois não se explica Deus nem Seu agir.
Ele se revela para que O conheçamos, O adoremos.
Confiemos Nele totalmente!
Pois o que iremos dizer ao final da provação é o mesmo que Jó disse:
"Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram." (Jó 42.5)


Deus lhe abençoe!!!!!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A verdade


Eu, com 5 anos de idade, em Lisboa, Portugal.
Sempre amei uma caneta e papel...
Essa foi a época em que fomos parar em Lisboa logo após meus pais (pr. Kemuel e Roseni), eu e Luciana (que tinha 2 anos) sermos expulsos de Guiné-Bissau.
=========================================================


Há uma verdade que não permite ser abafada
pelo silêncio ou pelas situações não queridas.
Ela rompe os limites que não foram por ela
postos e se mostra com todas as suas posições e respostas.
Não se intima pelo não toque, pelo não querer dizer.
Não se esconde atrás de medos e nem foge das possibilidades.
É uma verdade firme!
Que tem na constância sua firmeza e crescimento.
Seu nascimento não foi obrigado, nem seu crescer imposto.
Mas é fiel ao que no início lhe foi proposto.
Essa verdade é coerente e fiel.
Tem uma beleza que não necessita maquiar-se para se mostrar.
E não tem receio de se revelar por inteiro.
verdade mostra suas cores, expressa todos
os seus atos, não esconde quem ela é.
Mas por assim ser, essa verdade é temida.
Não tem sido realmente vivida, pois não se
busca saber o que ela realmente diz.
Quem não a vive, deve até criar preconceitos sobre suas atitudes.
Não lhe dá o valor merecido.
Relega-lhe uma posição não de destaque, sem se
importar com o real que tal verdade pode proporcionar.
Mal sabe que ela até busca saber do seu Autor
algumas interrogações e solicita até ser novamente escondida.
Só que o Autor continua a contar sua história...
Continua a mostrar os passos que ela deva dar
e não diminui sua intensidade e pulsação.
O Autor revela a cada dia algo novo à verdade.
Dando à ela ainda mais firmeza, beleza e constância.
Sabe?
O Autor deu à verdade uma música para ser cantada durante a jornada.
E a melodia dessa música é que tem feito com que
seus passos continuem a ser dados.
Enfim, a verdade está aí!
Viva...
Sendo o que ela é sem se importar com quem não quer que ela seja.
É a verdade!
Apenas isso....

domingo, 7 de agosto de 2011

Silêncio de letras....





Não sei o que escrever,
não sei mais o que dizer...
Não sei se é por medo ter
ou se é por não mais crer.

Há algo para ser expresso?
Sim, meu interior tem guardado
um sentimento que é velado,
que procura não mais ser revelado.

As palavras estão se escondendo
para não deixar a alma sofrendo
por não estarem realmente lendo
o que ela está em todo dizendo.

Não sei? Não! Não quero é mais falar.
Não quero mais meu coração revelar.
Irei apenas agora em silêncio orar,
pois Deus ouve o meu interior cantar.



Falar a Palavra de Deus é algo que arde em meu coração e, para poder continuar fazendo isso, abro mão de tudo o que possa impedir o agir de Deus no meu viver.
Isso para mim não é um sacrifício, mas é uma renúncia que fará manifestar a Glória de Deus e proporcionará que Seu Nome seja louvado e exaltado!
Por mais que muitos não compreendam e, em certos momentos, nem mesmo eu compreenda, o que importa é que Ele é o meu Senhor e para perto Dele é que eu desejo ir e viver eternamente.


sábado, 6 de agosto de 2011

Vontade de escrever....

Vontade de escrever algumas palavras, 
tentar expor mesmo que nada seja. 
Apenas deixar sentenças gravadas 
que podem até não dizer o que se deseja. 

Vontade de falar, dizer, declarar, 
promover até mesmo uma confusão. 
Apenas permitir que o meu sonhar 
possa vir a ser uma realização. 

Vontade de gritar o que aqui ressoa, 
para que não venha mais sofrer. 
Apenas sentir a verdade que povoa 
e inunda minha mente, meu ser.

Vontade de apenas poder ir 
a lugares que os sonhos têm ido. 
Apenas ao amor poder permitir 
que seja por completo vivido. 

Vontade de escrever.... 
só isso!!!

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Quem me entende?

Há dentro do mais íntimo uma necessidade de existir, de revelar-se sem receios e sem se importar com os demais.
Há no mais escondido do ser a vontade de expressar palavras que estão sendo formadas por um misto de sentimentos.
Não se revelam por causa da incompreensão dos muitos senões e interrogações.
Há um grito que deseja ser dado.
Há um gemido que procura se fazer ouvir.
Há......
Então digo:

Se existe um caminho a seguir,
se existem passos a serem dados,
é necessário reconhecer esse ir,
reconhecer a necessidade dos resultados.
Pois não existiria o viver,
se não existisse o caminhar.
Nem haveria o real ser,
se não houvesse o andar.

Quem entende?
Quem me fez...

.....


Consciente vejo um fato concretizar:
... a alma entoa sua melodia apenas quando é tocada.
Quando ela deixa de ser tangida, silencia-se e não permite que a ouçam.
Sua canção fica escondida por um sentimento denominado receio...
Receio de ser mais uma vez ferida...
Receio de ser mais uma vez mal compreendida...
Receio de não ser ouvida conforme está sendo cantada...
E entra na sua caverna que expressa ao redor silêncio, mas que dentro ecoa notas e mais notas da canção que insistentemente ainda procura ser expressada.
E não há o que lhe faça sair...
Não surge quem lhe estenda realmente a mão...
Mas a alma fica ali, sendo servida por esse tempo por Aquele que sabe qual canção é essa.
Pois foi Ele mesmo quem a escreveu...
E sabe como deve ser realmente tangida, cantada...
A alma aguarda...
Aguarda...