quarta-feira, 11 de maio de 2011

Somos "carteiros"...

No final desse texto você entenderá porque somos “carteiros”.
Não sou teóloga, mas alguém que ama a Bíblia Sagrada e que poetiza as mensagens que recebe.....
=========
Não posso esconder que dentro de mim há um incômodo, certo gosto de “por que isso tudo?” que veio se intensificando dia a dia.
Meu coração estava descompassado...
Minha mente estava confusa...
A história (tanto da humanidade quando da Igreja) tem seguido seus passos, mas tais estão em um caminho que não condizem com a verdade que conheço e que professo.
São homens (alguns se dizem ‘de Deus’) que lutam mais por posições, seus próprios egos.
São leis que favorecem apenas uma minoria.
São fatos que contradizem o que na realidade deveria ser.
O homem destrói tudo o que seja ético e moral para que sua vontade prevaleça e, os que se dizem de Deus alçam suas vozes não para exaltar a Verdade, mas para animosamente promoverem sua própria imagem, seus ideias faraônicos, seus sonhos de poder.
Mais?
Onde está a democracia quando vemos que por causa de uma minoria as leis são manipuladas para que ela adquira direitos que ferem o que magna e democraticamente já se tem definido?
Enfim... Sociedade e igreja (sim, falo dela também) estão caminhando em uma estrada perigosa, que as distanciam cada vez mais da Verdade, da Paz, da Salvação.
E, já que citei a Igreja, como ela realmente fica no meio disso tudo?
Uma parte está inerte, parece que não lhe incomoda ver que sorrateiramente o mal tem conseguido alçar seus intentos.
Outra parte acha que devemos levantar as bandeiras da confrontação verbal (e até física) para defendermos o que acreditamos ser a Verdade.
E entre estas há aquela que procura saber como realmente agir.
Eu estou nesta!
Mas não estou quieta...
Estava incomodada....
E sei que esse incômodo era o Espírito Santo que me dava.
E a Ele eu obedeci, pois me impulsionou a ter a única reação coerente ante isso tudo, que foi a de ir para onde a Verdade está escrita e procurar nela a definição do que seria esse sabor amargo que brotava do meu coração descompassado e, ouvir diretamente do Autor a interpretação correta, que é onde o Seu querer se manifesta.
Assim o fiz.......
Lendo a Bíblia Sagrada (fonte da Verdade), deparei-me com uma das orações que considero mais do que poderosas. Está registrada no livro de Atos, no capítulo 4, dos versículos 24 a 30.
Parei....
Li o contexto dela....
Adorei a Deus!
Minhas mãos tremiam no momento em que escrevia em minha Bíblia a resposta que Deus havia me dado, abrindo meus olhos para compreender que tudo assim está porque deixamos de PREGAR O EVANGELHO com PODER.
Esta oração foi feita pelos nossos irmãos da Igreja Primitiva logo após Pedro e João serem soltos pelo Sinédrio. Assim que eles se encontraram com os outros cristãos, relataram o que lhes havia acontecido e ao ouvirem-nos, como diz o versículo 24, “levantaram juntos a voz a Deus” não para reclamar, não para praguejar, não! Mas para em unanimidade (no original a palavra é homothymadon = com uma mente) fazerem o pedido mais incoerente, queriam ser “carteiros”.
Eles não ficaram “irados” e procuraram lutar pelos “seus direitos”!
Eles não se levantaram e foram afrontar os que estavam querendo lhes calar!
Não! Eles oraram.
"Ó Soberano, tu fizeste o céu, a terra, o mar e tudo o que neles há! Tu falaste pelo Espírito Santo por boca do teu servo, nosso pai Davi: ‘Por que se enfurecem as nações, e os povos conspiram em vão? Os reis da terra se levantam, e os governantes se reúnem contra o Senhor e contra o seu Ungido’. De fato, Herodes e Pôncio Pilatos reuniram-se com os gentios e com os povos de Israel nesta cidade, para conspirar contra o teu santo servo Jesus, a quem ungiste. Fizeram o que o teu poder e a tua vontade haviam decidido de antemão que acontecesse. Agora, Senhor, considera as ameaças deles e capacita os teus servos para anunciarem a tua palavra corajosamente. Estende a tua mão para curar e realizar sinais e maravilhas por meio do nome do teu santo servo Jesus" (At 4.24-30 NVI)
Oraram corretamente.
Lucas nos diz que adoraram a Deus, exaltando-O como Criador e reconhecendo Sua Soberania. Não apenas identificaram o cumprimento do sofrimento de Cristo, como também se identificaram Nele.
Ao citarem os perseguidores, não foram ofensivos, pois viam isso como confirmação da vontade divina, não retirando de Deus o controle dos fatos ocorridos.
E a petição?
Foi nesta parte que minha mente “acordou” e compreendeu o modo correto da Igreja agir:
Apenas disseram: Deus, por causa dessa atitude deles, temos uma coisa apenas a lhe pedir, CAPACITA-NOS para anunciarmos a Tua Palavra CORAJOSAMENTE.
Essa é a AÇÃO que a Igreja deve ter: ANUNCIAR O EVANGELHO!
A Igreja Primitiva fez o que nós devemos fazer hoje e não temos feito, eles pediram poder para PREGAR a mensagem CORRETA, que é a mensagem de salvação, não de conformação ou de promoção particular.
Ou seja, eles disseram: DEUS, QUEREMOS SER CARTEIROS E ENTREGAR ESSA MENSAGEM AO DESTINATÁRIO, INDEPENDENTE DOS PERIGOS DA ESTRADA E SEM MODIFICAR O SEU TEOR. DÊ-NOS CAPACIDADE PARA QUE CUMPRAMOS TAL TAREFA COM OUSADIA E DESTEMOR E, ASSIM, QUANDO A MENSAGEM CHEGAR ÀS MÃOS DO DESTINATÁRIO, ESTE A LEIA E SEJA ALCANÇADO PELA SUA GRAÇA QUE EMANARÁ DELA COM PODER.
Ah.... Como isso muda!
Como cristãos devemos...
... tal qual a Igreja Primitiva, pedir a Deus que olhe para o que tem acontecido tanto na sociedade, como também na Igreja, e haja “agora” (tanyn), conforme o Seu querer e não conforme nosso pensar.
... pedir a Deus para que Sua graça esteja conosco, fortalecendo-nos e dando-nos a ousadia necessária para que não nos prostremos pelas palavras, situações. Não devemos olhar para o mar bravio, mas para Aquele que está andando sobre a tempestade!
E a resposta para esta oração foi IMEDIATA!
Lucas nos diz que assim que terminara essa oração, “tremeu o lugar em que estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e anunciavam corajosamente a Palavra de Deus.” (At 4.31).
Aleluia!!!!
Não precisamos temer o que vem!
Não precisamos alçar nossas vozes para praguejar ou para pleitear nossos direitos, ou não.
Precisamos é PREGAR O EVANGELHO e pedir a Deus Seu PODER para que a mensagem seja confirmada pelo SEU AGIR.
Apenas isso!
E então, pergunto, é assim que temos feito?
Não!
Mas não desistirei!
E peço a Deus para que essas simples palavras possam alcançar mais e mais corações que estejam iguais ao meu, ansiosos para que a mudança que queiramos ver não seja motivada por nós, mas pelo AGIR DE DEUS através de nossas vidas.
Não se esqueça, não é o carteiro que alcança o coração do destinatário, mas a mensagem do remetente.
Nós somos apenas “carteiros” de Deus. A mensagem é Dele, entreguemo-la sem abrir o envelope e acrescentar nada além do que Ele já escreveu. Pois é esta que o destinatário precisa ler..... Apenas esta: JESUS CRISTO!
Deus lhe abençoe!

Nenhum comentário: