quarta-feira, 4 de maio de 2011

Cria em mim, ó Deus, ...

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em mim um espírito reto.” (Sl 51.10)

Coração, no original hebraico (leb) representa o interior do homem, o seu real “eu”.
E o caráter é a expressão desse “eu”, é o agir do homem sendo evidenciado em uma conduta boa ou má.
A natureza real (a gênese) do caráter do homem era santa e justa (Gn 2.7; Gn 1.27), não procedentes do próprio homem, mas como o termo caráter expressa, uma reprodução exata, reflexo, dos atributos morais e imanentes de Deus.
Foi por causa do pecado (Gn 3.7; Rm 3.23) que essa natureza tornou-se podre (corrompida).
A inocência corrompeu-se.
Os olhos foram abertos!
O que nos “ligava” a Deus e nos conferia a condição de ser Seu reflexo, foi rompido.
Corrompido!
Como reaver tal caráter?
Com a história de Davi aprendemos algo importante...
Davi foi um homem com defeitos e debilidades inerentes à sua natureza pecaminosa, mas que evidenciou em suas atitudes uma vida de total dependência de Deus, demonstrou publicamente uma conduta de obediência ao Seu Senhor e Criador, cumprindo Sua vontade e reconhecendo humildemente quem era Deus.
Buscava a Sua face com diligência e continuamente rendia ao Senhor louvor, honra e adoração com todo o seu ser, reconhecendo seus erros e confessando-os para poder manter sua vida realmente nas mãos do seu Deus.
Os seus hinos e poesias (registrados na Bíblia, em sua maioria no livro de Salmos) expressam essa sua conduta, mostrando-nos que o seu coração (eu) realmente era de Deus.
“Cria em mim, ó Deus, (...)” - Façamos essa oração diariamente.
Deus é quem nos conferirá um caráter novo.
Apenas Ele!
Pois “O Senhor é o nosso Pastor” e conhece-nos (Jo 10.14).
Ele nos coloca em Seus ombros nos momentos difíceis, nos dá de beber da Sua fonte e nos conduz por caminhos de justiça (Sl 23).
E quando buscamos a Deus, tal como Davi fez, ou seja, tendo uma vida de oração e de conhecimento da Palavra de Deus, nós vamos sendo limpos e produzimos o fruto que permanece, que é a evidência de um caráter cristão (Jo 15.1-17).
Vivamos nosso dia-a-dia sabendo que somos ramos de uma “oliveira brava” que ao aceitar Cristo como Salvador fomos enxertados na Oliveira Verdadeira, sendo alimentados por Sua seiva e, portanto, participantes de Sua natureza e essa é Santa e Justa, o Amor em toda a sua essência.

Deus lhe abençoe!

Nenhum comentário: