segunda-feira, 21 de junho de 2010

“Que é a verdade?” (Jo 18.38a)

TEXTO PUBLICADO NO JORNAL "A CRUZ EM FOCO" DA AD EM ITAPERUNA-RJ.
=========

Há uma verdade que não permite ser abafada pelo silêncio ou pelas situações não queridas.

Ela rompe os limites humanos e se mostra com todas as suas posições e respostas.

Não se intima pela dúvida, pelo não querer dizer, nem mesmo pelas mãos que se lavam, pela indiferença.

Não se esconde atrás de medos e nem foge das possibilidades.

A verdade não busca se definir. Ela é!

É firme. É coerente. É fiel.

Não uma teoria, sistema especulativo de fãs filosofias.

Nem nascida de compreensões intelectuais.

A verdade se expressa dessa forma: é.

Tem uma beleza que não necessita de maquiagem para se mostrar.

E não tem receio de se revelar por inteiro.

Mostra suas cores, expressa todos os seus atos.

Fala convictamente, não por buscar o conhecimento, mas por ser.

Mas é temida, pois confronta.

Não tem sido realmente aceita.

E a pergunta “Que é a verdade?” jamais tem a resposta real.

Inútil é buscar tal resposta fora dela mesma, ou seja, da verdade.

Sim! A verdade é a resposta à questão.

Pilatos esteve ante ela.

Questionou o inquestionável naquele momento, pois a verdade estava diante dos seus olhos.

Quantos agem como ele!

Não a vêem diante de si, ou se vêem, dão preferência às vozes da multidão, da sociedade, da comodidade ou, até mesmo, do medo.

Ainda não sabe quem é a verdade?

Vou dizer o nome dela, assim você reconhecerá que já a viu: ela se chama JESUS CRISTO.

Ele mesmo disse: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida.” (Jo 14.6a)

Querido leitor, se este questionamento tem aprisionado sua mente em uma cela cujas grades da dúvida parecem diariamente ter um calibre maior, saiba que há como dessa cela ser livre.

Convido-lhe a conhecer a verdade, ou seja, Cristo, e, por seu intermédio, estará livre.

A verdade está aí!

Aceite-a! Apenas isso.

Não lave as mãos! Não!

Em Cristo,

Ana Paula Lopes Pinheiro

terça-feira, 8 de junho de 2010

AD no Brasil - MEU APELO!

Vou expor aqui a dor que tenho sentido em minha alma quanto ao que tem ocorrido quanto a minha denominação (AD no Brasil).

Por não nos importarmos em realmente conhecer as artimanhas do inimigo, acabamos caindo em armadilhas.

E o maior interesse dele é um só: que o Evangelho não seja realmente PREGADO.

Achamos que somos sabedores de tudo e poderosos por sermos tão sabedores.

Mas infelizmente caímos no engodo mais pueril....

Camuflada com a máscara da “verdade que deve ser revelada”, temos entregue ao inimigo todas as nossas fraquezas e, com isso, estamos mercês a inúmeros ataques que poderiam ser desnecessários.

O que se ganha em revelar aos que não são do nosso meio o que conosco ocorre?

É necessário revelar falhas e fraquezas dessa forma?

Não creio que seja necessário!

O que temos que revelar, mostrar, escancarar pelos meios possíveis não deve ser outro tema que não seja A CRUZ – CRISTO.

Essa é a nossa mensagem!

Os nossos pés devem estar calçados com o Evangelho da Paz, não com o da discórdia ou com o das sujeiras internas.

Se existem ou não tais fatos, quantas almas estão sendo ganhas quando deixamos que isso chegue até elas?

Até mesmo dentro de nossa denominação, quantos serão que têm maturidade para poder enfrentar tal situação?

E o inimigo conseguiu!

Conseguiu......

Não quero entrar no mérito de quem é ou não culpado.

Não quero aqui dizer que os fatos sejam falsos ou verdadeiros.

Nem quero argumentar que isso tudo esteja acontecendo porque permitiram chegar a esse ponto.

Não!

Mas que a prudência faltou em meio a isso tudo faltou sim.

Erros existem, mas não para serem tratados dessa forma.

Lembro-me da mulher adúltera e da atitude que Cristo teve.

Lembro-me de como Paulo tratou a questão de Pedro, de Silas e outras tantas das Igrejas por ele fundadas.

Lembro-me de outros fatos bíblicos......

Pena que alguns, tão conhecedores da Palavra, não têm se lembrado!!!

ADMIRO TODOS!

E peço: USEMOS OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO PARA EXPOR A PALAVRA DE DEUS!!!!

As almas estão precisando de JESUS, não de problemas de nossa denominação nem de mega idéias que necessitem de milhões para que elas sejam alcançadas.

Precisam apenas que FALEMOS SOBRE CRISTO.