domingo, 25 de outubro de 2009

Coração doendo escreve poemas...

Tentar conter uma torrente
e não permitir que ela aconteça,
faz com que a alma fique doente
e que a paz ali não permaneça.
Visualiza-se um verdadeiro ruir
de esperanças, sonhos e querer.
Tudo por não permitir
que se expresse o real ser.
Por ocultar os medos e vontades,
por buscar ao menos uma aprovação,
vive-se apenas meias verdades
e nunca se chega à solução.
E essa escondida dor
não fica por muito incontida,
pois o seu amargo sabor
se sente até em leve mordida.
O que apenas se deseja
é um afago, um ombro, um colo.
Mas o nome sempre almeja
que por ele se tenha zelo.
As lágrimas então vêm revelar
o que parece nem ser verdade,
sou uma alma desejosa pelo amar
desde sua tenra idade.

Nenhum comentário: