terça-feira, 15 de setembro de 2009

Por que vou à Igreja?

Essa pergunta nos faz pensar sobre quais motivos nos impulsionam a ir ou não à Casa de Deus. Antes, devemos entender que IGREJA não é uma invenção humana. Desde o Antigo Testamento Deus já a tinha instituído. Ele chamou um homem, escolhendo-o para que fosse pai de um povo separado do mundo ( ekklesia = tirado de fora para dentro), que seguiria Seu governo, Sua lei e que somente O adoraria, não tendo outro Deus (Gn 12.1-3; Lv 26.11-13). Mas como bem conhecemos a história desse povo (Israel), eles rejeitaram essa dádiva. Deus, então, enviou Seu Filho para poder edificar essa IGREJA (Mt 16.18b). Neste versículo Jesus estava dizendo a Pedro que sobre a afirmativa que ele (Pedro) havia dito (“ Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”), a IGREJA seria edificada, passando a existir visivelmente no Dia de Pentecostes (At 2.1-4). Nós fazemos parte dessa Igreja que foi fundada há mais de dois mil anos, ou seja, fazemos parte dessa Igreja Universal, que é formada por salvos de todas as raças, tribos, nações, culturas ou dialetos. Aquela Igreja de Atos também tinha seus momentos de reunião, tinha suas atividades comunitárias, seguiam a lei de Deus e Seus preceitos morais, tinham comunhão uns com os outros e adoravam a Deus em conjunto (At 2.42-47; At 4.32-33; At 15.4; At 16.5). Tal como nossas Igrejas de hoje em dia, que denominamos Igreja Local, ou seja, uma Igreja com endereço fixo. Mas a Igreja de Atos sofreu perseguições atrozes… E mesmo assim sempre estava em reunião, uns nas casas dos outros, tanto que Paulo cita sobre a Igreja que estava na casa de Priscila, Áquila e outros. Até mesmo em catacumbas, ou seja, cemitérios, conforme nos relata a história eclesiástica. É nesse ponto que retornamos a questão acima: Por que eles iam à Igreja? Eles cantavam salmos durante suas reuniões, hinos de adoração, repartiam seus bens… por quê? (Sl 84.10). Seria a amizade entre eles? Seria porque gostavam de sofrer? Seria porque eram pobres financeiramente? Seria porque eram coagidos, forçados? NÃO! O Único Motivo era CRISTO! “ Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou e se entregou a Si mesmo por mim.” (Gl 2.20) A partir do momento que também agirmos dessa forma, ou seja, freqüentarmos a Igreja não por causa dos outros ou por causa do nosso bem estar, mas POR CAUSA DE CRISTO, as demais coisas serão realizadas não porque faremos para homens, mas porque faremos para Deus. Não importava aos primeiros cristãos o seu viver e sim o viver de Cristo. Aleluia! Se nos portarmos assim… … iremos ADORAR a Ele, independente de qualquer situação terrena. Seja na dor ou saúde, na guerra ou paz, na pobreza ou riqueza, pois o nosso único desejo será estarmos diante Dele. … teremos COMUNHÃO com os nossos irmãos, não por causa do sentimento de amizade, que sempre leva em conta nossos gostos pessoais, nossa vã maneira de olhar os outros. Mas teremos comunhão uns com os outros por causa do amor de Deus que estará em nossos corações. Amaremos até os nossos inimigos, conforme Sua palavra diz. … CONTRIBUIREMOS sem restrições, porque saberemos que somos mordomos aqui na terra. Tudo é de Deus. … SERVIREMOS com nossos talentos na casa de Deus não para mostrá-los aos outros, mas para evidenciarmos a Glória de Deus ao mundo. … e a cada dia Deus nos acrescentará mais e mais irmãos para caminharem conosco. “ A palavra de Cristo habite em vós abundantemente, em toda a sabedoria, ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos e cânticos espirituais; cantando ao Senhor com graça em vosso coração. E quando fizerdes por palavras ou por obras, fazei tudo em nome do Senhor Jesus, dando por Ele graças a Deus Pai.” (Cl 3.16-17) Recomendo ler, também, Hebreus 13.1-17. Se você ainda não faz parte dessa Igreja Universal, lhe convido a reconhecer Cristo como único Senhor da sua vida e você verá quão maravilhoso é fazer parte desse povo chamado Cristão. Se você faz parte, lhe convido a cada dia mais estar se alimentado da Palavra de Deus e saciando a sua sede nas águas do Espírito, para dia-a-dia crescer em graça e conhecimento para a Glória de Deus e, assim, ser um Cristão que faz diferença nesse mundo. Deus lhe abençoe!!!
========
Reflexão publicada no Boletim Dominical da AD em Itaperuna-RJ.

Um comentário:

Alessandro Tristão disse...

Na minha opinião o foco principal deve ser Jesus Cristo. A igreja de hoje muitas vezes afasta seus seguidores de sua missão principal: Amar à Deus e o próximo, o resumo de todos os mandamentos, por isso observamos quanta decadência em relação ao projeto Cristão e comparado com a igreja primitiva dos apóstolos. O que vemos hoje é uma igreja envolvida com tantos interesses políticos e financeiros que a verdadeira essência foi esquecida lamentavelmente. Para alguns teólogos é necessária até uma nova reforma, levando em conta o estado da igreja atual, particularmente eu concordo...
www.alessandrotristao.com
abraços!