sábado, 29 de novembro de 2008

Uma jornada...

“Liberte os que estão sendo levados para a morte;
socorra os que caminham trêmulos para a matança!” (Pv 24.11)


O caminhar era lento...
Passos sendo dados sem ser percebido o caminho
ou, até mesmo, o que estava ao redor.
Pensamentos mil povoavam a mente,
mas não tinham afirmações concretas
de uma devoção total ao Senhor.
Quando surgiam as intempéries,
procurava esconder-se no abrigo mais próximo que encontrava,
sem procurar saber se era realmente seguro.
Não havia temor ou sentimento de confiança.
Seguia andando,
obedecendo apenas ao ritmo moroso dos passos,
sem aumentar o compasso ou diminuir o descaso.


Mas, espere!
Ouviu um grito...
Parou.
Prestou atenção. 
Pois apesar de ser um grito, 
era incompreensível o seu dizer. 
Afinal, eram gritos... 
E de onde eles vinham não era possível ver de quem eram, 
pois vinham da direção escura da estrada onde caminhava. 
Os gritos eram diversos, 
mas transmitiam o mesmo sentimento: MEDO. 
O caminhar foi, a partir de então, modificado.
Reconheceu ser um representante do Reino 
e que tinha em suas mãos uma Lâmpada, 
capaz de iluminar aquela escuridão de onde vinham tais gritos. 
E o que viu? 
Vidas e mais vidas, 
caminhando acorrentadas em grilhões malignos 
e sendo conduzidas ao abismo da total separação. 
Correu. 
Não podia permitir que morressem. 
Correu. 
Não podia mais ficar indiferente. 
E o seu caminhar tornou-se a expressão exata 
do querer de Deus para si aqui na terra. 
E, até o fim, com quem encontrasse, 
revelou o Único meio de estar seguro: Cristo.

Ouça o que Ele diz:

A lágrima que rola 
sobre uma face triste,
que chega ao coração 
e que escorre até o âmago,
ela é recolhida 
pelo lenço da amizade,
que uma mão estende 
e nos dá a felicidade.
Ele chega até junto a nós 
e diz com toda mansidão:


“Deixa toda tua dor 
nas minhas mãos rendidas.
Tudo eu resolverei 
e nunca mais chorarás.
E no céu um dia vou te levar
e assim a alegria eterna verás.
Pois sou quem te ama 
com toda verdade.
Acredite em mim!
Tenho paz e felicidade.
Sou teu Jesus ...”

domingo, 23 de novembro de 2008

Sou vencedora!

Em meio a tantas falácias, meu coração entoava essas palavras.
===

O inimigo vem com vontade,
utilizando de toda sua maldade
para querer me derrubar,
minha fé quer tentar tirar.


Quer pôr nos olhos meus
a dor e os sofrimentos seus.
Quer que eu derrame lágrimas
de desânimo, ódio e lástimas.


Tenta tirar o meu sorriso,
a alegria de que tanto preciso.
Que meu brilho eu venha perder.
Que eu não consiga vencer.


Põe dentro do meu coração
a dúvida, o ponto de interrogação.
No meu caminho, armadilhas mil.
Quer levar-me para o seu covil.


Mas para ele eu volto
com todo poder do alto.
Pelo sangue de meu Jesus,
derramado por mim na cruz.


Digo-lhe com toda bravura,
revestida com santa armadura:
“Satanás, sai-te depressa, agora!
Por Cristo eu tenho vitória!


A alegria que queres tirar,
em mim irá sempre reinar.
Contínuo e radiante é meu sorriso,
dele não conseguirás apagar o brilho.


Meu coração foi lavado
por aquele sangue derramado.
Não venha sondar-me com bravura,
pois em Cristo eu estou segura.


E no céu com Ele vou viver.
E glórias a Ele vou render.
Aqui nada irás conseguir.
Não queiras, não tentes vir!


Pertenço ao meu Deus amado.
Por Ele já és derrotado!”

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Não posso viver sem Jesus!



Há momentos na vida
que é dura a lida,
que a dor é sentida
e nossa tristeza é refletida.


Dentro do nosso ser
está tudo a se corroer.
Sentimos a esperança morrer.
Queremos de todos correr.


O sonho é desfeito.
A vida perde o conceito.
A realidade não tem efeito.
A solução não tem mais jeito.


Dentro do nosso coração
há uma eterna confusão.
Não entoa a bela pulsação,
dele não se ouve canção.


Mas, ainda há uma esperança,
uma paz, uma água mansa.
Alguém que dá a bonança
e que de nos ajudar nunca se cansa.


Esse Alguém é conhecido,
mas muitos O têm esquecido.
A Sua voz tem se ouvido
e em alguns é sentido.


Ele nos dá um caminho,
retira a dor com carinho.
A tristeza perde seu ninho,
da alegria é o Seu vinho.


Retira o ódio e torpor.
Faz-nos sentir terno amor.
Ele é amigo, nosso Senhor,
Jesus Cristo, o Salvador.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Como águias.



Escrevi o texto abaixo enquanto ouvia este hino. Parecia que ouvia Deus falando o que escrevi.
Aleluia!!!!
Como eu amo ao meu Senhor!
=====



“Subirão com asas como águias, …”
(Is 40.31a)
Ouvimos muito: “Deus nos faz como águias para voarmos acima das dificuldades e estarmos mais perto Dele”.
Lindo!
Quantos já não deixaram mensagens baseados nessa verdade. 
Sim, é uma verdade! 
Mensagens lindas, que nos fortalecem e que nos conduzem a uma certeza, que Deus está conosco.
Mas a grande mensagem continua e é essa parte que eu mais gosto:
“…correrão e não se cansarão, caminharão e não se fadigarão.” (Is 40.31b). (grifomeu)
Entendeu?
Não!
Pois veja: correr e andar são ações que ocorrem no mesmo plano dos problemas.
Não acima…
Não longe dos olhos…
Não sem tocar…
É estar no meio, entre eles, vendo-os, sentindo-os. Isso nos faz estar numa posição desconfortável, claro!
Pois o que mais queremos é não ter o incômodo.
Correr e andar nos fazem estar em contato...
... com a preocupação, 
... a dor, 
... os dilemas, 
... o pecado.
Mas, pelo que a Palavra nos mostra, é quando corremos e andamos que permitimos que Deus esteja agindo em prol de nós.
Como?
No voo, nós VAMOS
No correr e andar, Ele VEM
Será que O conhecemos assim?
Temos comunhão com Ele desse modo?
Entregamos TUDO o que temos e somos?
Se sim, então…
… correremos e andaremos nessa jornada sem nos cansar e fadigar. 
E chegará o dia em que voaremos e habitaremos eternamente com Deus.
ACREDITE!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Um conselho para o meu coração...

Ah! Coração!
Como sempre a inquietude bate à porta.
Chora!
Vai!
É melhor do que guardar tais lágrimas e torná-las em pedras.
Pois as pedras para serem removidas, vão lhe machucar.
Não só a você...
Chora!
As lágrimas lavam.
Ah! Mas chora no colo do seu Pai.
Ele está lhe aguardando...
Deus espera por você.
Vai coração...